• Postado por Tiago

A PPT nas pesquisas eleitorais

Pingo – Na semana que passou o noticiário foi ocupado por comentários, análises, previsões e conclusões sobre a pesquisa CNT/Sensus que apresentou um empate técnico entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). Instado a prestar maiores informações, o Instituto Sensus informou que deu ênfase, nas entrevistas, a municípios remotos transformados em alvos dos programas assistencialistas do governo Lula, tal como o Bolsa-Familia e assemelhados. Só para exemplificar, foi informado ao TSE que no Rio Grande do Norte (508 mil eleitores) foram ouvidas 9 pessoas em Natal e 13 pessoas em Sítio Novo (4 mil eleitores e 803 bolsas). Em Santa Catarina, o Sensus entrevistou apenas 4 pessoas na capital, Florianópolis (306 mil eleitores), e 13 em Guaraciaba (7,7 mil eleitores).

Respingo – A matéria despertou maior interesse após Ricardo Guedes, do Sensus, ter explicado que todos os institutos usam a técnica “PPT” (Probabilidade Proporcional ao Tamanho) de municípios. Qualquer outra interpretação para a sigla “PPT”, tal como Preferência ao Partido dos Trabalhadores, será mais uma maldade da “zelite”.

Pingo – Uma crise de hipertensão impediu o “nosso Guia” de viajar para receber o Prêmio Estadista Global obrigando-o a delegar ao chanceler Amorim a leitura do discurso de agradecimento pela homenagem concedida. Do texto revelado constava a seguinte fanfarrice: “Sete anos depois posso olhar nos olhos de cada um de vocês e, mais que isso, nos olhos do meu povo e dizer que o Brasil, mesmo com todas as dificuldades, fez a sua parte. Enquanto isso, o que aconteceu com o mundo? Podemos dizer que o mundo, igual ao Brasil, também melhorou? Apenas melhorará quando reinventarmos o mundo e suas instituições.”

Respingo – Certamente ao posar de reinventor do mundo pretende divulgar a sua teoria da “recuperação do papel de governar”, apresentada na forma da maratona a que se submete no país e no exterior, tornando-o merecedor do titulo de “frequent flyer president”. Em 2009, gastou 83 dias viajando pelo país e 91 dias viajando por 31 países.

Pingo – Recente estudo do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada concluiu que os impostos cobrados dos pobres são muito mais altos do que os cobrados dos ricos. Quem ganha até dois salários mínimos tem uma carga tributária bruta de 53,9 %¨ e trabalha 197 dias do ano só para pagar impostos. Quem ganha mais de 30 salários mínimos tem uma carga de 29 % e trabalha apenas 106 dias para custear os gastos do governo.

Respingo – Diante de tal constatação conclui-se que os pobres trabalham para o governo de 1º de janeiro até 16 de julho, enquanto os mais ricos trabalham somente até o dia 16 de março. É possível afirmar, ainda, que os mecanismos fiscais maltratam muito mais os pobres do que os ricos, pois o governo não provê os serviços básicos obrigando mais gastos na sua obtenção.

Pingo – A Polícia Federal deflagrou a Operação Bismarck para combater fraudes em saque do seguro-desemprego ocorridas em Pernambuco e também no Mato Grosso, Minas Gerais, Rondônia, Goiás, Rio Grande do Norte, São Paulo, Ceará e Paraíba. Os prejuízos chegaram a mais de R$ 1,5 milhão. Os criminosos falsificavam documentos pessoais de quem tinha direito ao seguro-desemprego e sacavam o dinheiro. Quando os titulares iam realizar os saques, descobriam a fraude e o Ministério do Trabalho tinha de pagar novamente o benefício.

Respingo – É impressionante a incidência de falsificações e fraudes na área de benefícios assistenciais trabalhistas tais como seguro-desemprego, auxílio-doença, aposentadorias fajutas, etc., áreas onde indiscutivelmente não transita a “zelite-burguesa”, até pelo contrario está, isto sim, “aparelhada” pelos “cumpanheiros” que entendem muito bem destes meandros assistencialistas.

Pingo – Os técnicos da FAB indicaram como melhores os caças suecos. Mas o que prevalece não é o que pensam os técnicos, eles nada sabem de políticas.

Respingo – A compra dos Rafale é o “Proer” lulista para a indústria aérea francesa.

* bacharel em Direito, mestre em Ciência Jurídica, na área de concentração em fundamentos do direito positivo, pela Univali.

  •  

Deixe uma Resposta