• Postado por Tiago

Depois de 23 anos ameaçando matar a companheira, Ambrósio Vosniac, 51 anos, quase conseguiu o feito, na madrugada de ontem, em Barra Velha. O gaúcho metido a machão tentou esganar a muié e só parou quando a coitada desmaiou. A irmã dela chamou a PM, que teve um trabalhão pra tirar o safado da casa. Como se não bastasse, o vagabundo ainda se negou a entrar na cela da depê e precisou de cinco policiais pra empurrá-lo pra dentro.

A confusão começou pelas 23h de domingo. Depois de mais um bate-boca com a companheira, na casa da rua 3300, no bairro Icaraí, Ambrósio perdeu a cabeça e meteu a mãozona no pescoço da coitada. O machão esganou a muié até ela desmaiar. Quando viu ela roxa, ele largou a pobrezinha.

Enquanto o safado tentava mandar a esposa pro além, a irmã da vítima conseguiu pular a janela da baia e correu até o batalhão da PM, onde avisou os milicos.

Ao chegarem ao local, os meganhas deram de cara com Ambrósio possuído pelo demo, com um facão na mão e ameaçando degolar a companheira. O traste não queria deixar a polícia entrar e começou então uma negociação que durou cerca de uma hora.

Nesse meio tempo, a coitada acordou e ajudou na conversa. Depois de muito bate-papo, os policiais convenceram o traste a sair da baia e ir até a delegacia, onde rolou outro perrengue.

Empurrado pra dentro

Na depê da Capital do Pirão, a muié finalmente decidiu denunciar o maridão. Ela contou pro dotô que é casada há 23 anos e viveu ameaçada este tempo todo, mas por medo do safado nunca procurou a polícia. Feito o flagrante do machão, chegou a hora de botar o cara atrás das grades. Foi então que o gaúcho armou outra confusão. Mesmo sem ter bebido uma gota de cachaça, o cara se transformou e não queria entrar na cela de jeito nenhum. Cinco meganhas tiveram que suar a tanga pra render o mequetrefe e o jogar dentro da jaula.

Depois de muita resistência, Ambrósio dormiu sua primeira noite na cadeia. Ontem, os tiras começaram a levantar a ficha do safado e descobriram que ele tinha um assassinato nas costas na década de 80, lá nos pampas.

  •  

Deixe uma Resposta