• Postado por Tiago

Guilherme Marinho Nunes, 22 anos, foi preso em flagrante em São José, na Grande Florianópolis, quando tentava aplicar um golpe de estelionato em nome de um médico descendente de japonês. Ele usava documentos e cheques falsificados de um médico do Paraná.

Galego dos zóio claro, o infeliz não se deu conta que o médico por quem ele tentava se passar tem sobrenome japonês, o que levantou a suspeita contra a criatura. Além de cheques, a carteira de identidade, receituários carimbados e em branco, e comprovantes de renda e residência do coitado do médico.

Guilherme contou em seu depoimento que comprou o kit 171 por R$ 1.600 de uma quadrilha do Paraná, que é investigada há tempos pelos homisdalei. Os bandoleiros já aplicaram golpes que ultrapassam meio milhão de reais. Só na Santa&Bela a quadrilha já embolsou R$ 20 milhões em Floripa, São José e Imbituba.

De acordo com os tiras da central de polícia de São José, estes quadrilheiros coxa-branca não são fracos. “Entramos em contato com os donos dos documentos e nenhum deles relatou conhecer estas pessoas”, disse. A polícia tenta agora descobrir como os malacos conseguiram falsificar os documentos e se eles vendiam medicamentos de forma irregular, já que o bandido que foi preso tinha várias receitas no bolso.

  •  

Deixe uma Resposta