• Postado por Tiago

GERAL-8-BASE-g---manifestacao-assembleia---foto-carlos-kiliam-divulgacao-alesc-15jul09-(1)

Servidores foram impedidos de entrar na casa do povo que já tava cheia

A pressa dos deputados estaduais em aprovar de qualquer jeito os projetos antes de entrarem em férias quase terminou em pancadaria ontem à tarde na assembleia legislativa. O rolo teria começado após professores e policiais militares terem tentado entrar na casa do povo e serem impedidos. As portas foram trancadas porque, do lado de dentro, tanto no hall quanto no plenário, não cabia mais ninguém.

A negativa em deixar a turma entrar foi motivo pro início da baixaria. A rapaziada não pegou leve, ameaçou arrebentar as portas e o hall inaugurado dia desses e que custou quase R$ 1,5 milhões. ?O desejo era acompanhar o encaminhamento de projetos de interesse dessas categorias?, avalia o deputado Sargento Soares, representante dos milicos que não gostou muito de ver seu povo ser barrado no baile.

A confusão do lado de fora da Leleia foi tão grande que a sessão teve que ser suspensa até que os ânimos voltassem ao normal. Como o clima tava muito tenso, os deputados decidiram pela retirada do projeto dos militares da votação. O projeto dos milicos pode voltar à pauta na sessão de hoje pela manhã.

A bronca dos policiais tá relacionada aos percentuais de reajuste entre oficiais e praças e nos itens que tratam das atribuições da PM e dos bombeiros militares. Sobre o projeto do abono pros profes, ele foi aprovado nas comissões e deverá ser votado hoje pela manhã.

A segurança da assembleia nega que tenha havido algum tipo de truculência contra os servidores públicos. O impedimento de entrar se deu porque não havia mais espaço.

  •  

Deixe uma Resposta