• Postado por Tiago

INTERNA-8-ABRE---vereador-marcelo-werner

Werner diz que não era sócio majoritário e tá tranquilo

Ainda não se sabe quem deve formalizar a denúncia na comissão de ética da câmara de vereadores peixeira, mas uma coisa é fato: o vereador Marcelo Werner (PCdoB) deve sofrer uma sabatina em breve pra esclarecer se desobedeceu ou não a lei orgânica do município ao ser sócio de uma empresa contratada pela prefa. A empresa Locação Progresso Ltda ME assinou contrato com a prefeitura no valor de R$ 80,6 mil em 18 de fevereiro deste ano, depois da posse do vereador, em 1º de janeiro. E pela lei orgânica, no capítulo 3º, artigo 20, os vereadores não podem, depois da posse, ser proprietários, controladores ou diretores de empresa com função remunerada.

Exatamente um mês depois da renovação do contrato, já que a empresa prestava serviços à prefa desde a gestão anterior, a sócia Maria Bernadete Werner se retirou da sociedade, transferindo suas cotas no valor de R$ 13,5 mil para a nova sócia ? Marlene Doroti Zen. Já Marcelo cedeu 150 cotas no valor de R$ 150 pra nova sócia, Solange Aparecida de Azevedo. O capital social da empresa é de R$ 15 mil e o contrato assinado com a prefa vai até o final do ano.

O procurador da câmara, Ivan Macagnan, confirmou que já ouviu falar a respeito da denúncia, mas não chegou nada às suas mãos. ?Quem deve fazer a denúncia é um vereador ou um partido, mas até agora nada foi formalizado?, declarou. Se formalizada, a denúncia deve ir pra comissão de ética, formada na semana passada, que irá analisar as provas e apresentar um relatório. Daí, o vereador terá 15 dias de prazo pra se defender.

Uma questão que pode amenizar a pena, segundo o procurador, é a deficiência visual de Marcelo. ?Ele tem um problema, todos sabem disso?, afirmou, dando a entender que haveria uma certa tolerância em relação ao deslize do parlamentar. Já o presidente da casa, Luiz Carlos Pissetti, diz que a lei orgânica tem certos nuances que podem favorecer o vereador vermelhinho. ?Não é assim: oito ou 80. Pelo que eu sei, a firma é do pai dele, e se ele for sócio minoritário e não for atuante na empresa e nem apresentar dolo pro município, pode ser beneficiado sim?, opinou.

  •  

Deixe uma Resposta