• Postado por Tiago

Não pode falar mal dos africanos

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, disse esta semana que a África do Sul está surpreendendo o mundo com a estrutura apresentada para fazer uma grande Copa ano que vem. Teixeira falou isso para livrar a cara do Brasil, em razão das declarações do presidente da Federação Paraense de Futebol, Antônio Carlos Nunes Lima, chefe da delegação brasileira na Copa das Confederações, que deu uma esculhambada legal no país sede do próximo Mundial. O paraense, muito sincero, afirmou que não levaria sua família para a Copa de 2010 porque “às 6h da tarde parece que há um toque de recolher no país. Como vamos comemorar nossas vitórias?”, perguntou o cartola. Contrariado com o fato, Ricardo Teixeira botou todo mundo de prontidão para falar bem dos africanos, inclusive os jogadores. Bem feito, seu Ricardo. Quem mandou fazer agradinhos com o nosso dinheiro. Claro, quem paga estas viagens mordômicas dos seus eleitores somos nós.

Não dá pra elogiar a seleção

Foi só falar bem do time brasileiro, por causa daquele meio tempo arrasador contra a Itália, que a decepção voltou. A partida contra a África do Sul deu sono no primeiro tempo e irritou a quem a assistia até o chute salvador do Daniel Alves. Estou começando a acreditar que aquele cabelo arrepiado do Dunga é de tanto susto que o homem toma na beira do campo. Só pode ser isso. Nunca vi uma seleção oscilar tanto como a nossa. E o homem fica ali parado, sem mexer no time, a não ser para trocar seis por meia dúzia. Como jogamos muito mal contra a África do Sul, os americanos que se cuidem neste domingo. Pelo menos essa tem sido a rotina brasileira, fazer o bem me quer, mal me quer com o seu futebol. Um dia dá banho, no outro dá vexame. Melhor para o Dunga que, entre chuvas e trovoadas, pode chegar enxuto a mais um título.

Alvo errado

A direção do Internacional preparou um dossiê contra as arbitragens, reclamando que o clube tem sido muito prejudicado no Brasileiro e na Copa do Brasil. Ladeira abaixo como anda o time, o melhor e mais correto é fazer um dossiê contra o trabalho do Tite. O pastor e suas ovelhinhas estão à beira do precipício.

Despreparo

Não vejo a polêmica estabelecida depois do jogo entre Cruzeiro e Grêmio, por causa de xingamentos supostamente racistas dirigidos por Maxi Lopes a Eli Carlos apenas por esse prisma. Cabe lembrar que nossos jogadores quando enfrentam os argentinos perdem o controle e criam uma via de mão dupla. O que não justifica nem um e nem outro procedimento, ambos catalisadores de violência dentro e fora do campo.

Jogo sujo

O grande volume de recursos investidos na Fórmula 1, o lucro por ela gerido e o grande jogo de interesses estão destruindo essa categoria do automobilismo. Cantada em prosa e verso como a melhor temporada de todos os tempos, ela já está comprometida com tanta briga de bastidores.

Mistério

Ferdinando continua improvisado na lateral direita, Michel esteve fora dos planos, mas de repente virou titular para um jogo, e não há reserva imediato para a posição. Enquanto isso, o garoto Medina segue sem aproveitamento por conta de uma briga da direção do Avaí com Falcão, o empresário do jogador.

Não tem jeito

O Marcílio Dias ganhou sobrevida com a goleada em cima do Criciúma. Mas fora de campo os problemas continuam e parecem insolúveis. O Tigre, adversário do Marinheiro e também nosso representante na série C, pode fechar para balanço antes do fim do ano, por falta de recursos e de calendário.

Onde está o dinheiro?

Em tempos bicudos, o Avaí anuncia ampliação da Ressacada para 20 mil torcedores. Onde estão buscando fôlego financeiro para encarar uma competição difícil como o Brasileiro e ainda pensar em obras no estádio?

Pneu furado

E o Robinho gente? Pedala, pedala e cai. Ou então não sai do lugar. Assim como colocou Ramires no time no lugar do Elano e já obteve lucro, está na hora do Dunga se mexer e arrumar outro jogador para o ataque. Levar o Nilmar e o Pato para deixá-los esfregando banco é o que? Eu já sei a resposta.

  •  

Deixe uma Resposta