• Postado por Tiago

Palestras motivacionais

Tostão hoje é médico, profissional sério como sempre foi no futebol e fora dele. Por isso li com muita atenção sua coluna, distribuída domingo aos jornais assinantes. Ele escreveu sobre psicologia no esporte e as palestras motivacionais, coisas bem distintas e que não se misturam. Acredito em uma, tenho horror da outra, até por experiências pessoais a que fui submetido em determinados momentos da minha via profissional. A psicologia tem base, em qualquer dos seus segmentos. Exige estudo, muito estudo e pesquisa constante. Participei de uma das tais palestras. Era um encontro, um congraçamento dos funcionários de uma fundação, atividade carregada de boas intenções e que dispensaria o que fomos convidados a assistir em duas sessões. Me senti ridículo, obrigado a bater no peito, a uivar como um coiote, a socar um pedaço de madeira como um praticante de artes marciais, a ouvir um besteirol interminável ao som, na época, de músicas próprias à trilha sonora da novela Caminho das Índias. Abandonei a sala irritado e completamente desmotivado. Hoje o futebol tem um motivador famoso e muito requisitado, Evandro Motta. Contam que ele deu a mesma palestra no mesmo dia para jogadores do Fluminense e do Paulista de Jundiaí. Esse homem tem desempregado psicólogos nos clubes. Tostão não prega a reserva de mercado, mas lá no fim da sua coluna está escrito o que vale: “Sou contra o exagerado prestígio que muitos treinadores dirigentes e parte da imprensa dão a essas palestras óbvias, algumas vezes ridículas, de motivação. Parecem um show”. Amém, grande Tusta.

Custo benefício

Pedrinho vai, Fernandes fica, pela enésima vez tentando se recuperar de uma contusão. Pedrinho quase nem jogou, Fernandes já jogou muito. Nesse vai e vem de prolongadas e frequentes estadias de ambos no departamento médico, o Figueirense continua sem ter um time pronto para disputar o campeonato brasileiro e com carência extrema justo na posição dos dois. Não deu mais para esperar por Pedrinho. Fernandes tem história no clube, a torcida gosta dele, mas nem lembra mais quando o viu jogar bem pela última vez.

Escolha a marca

O Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC) da Espanha, adverte: beber cerveja faz bem à saúde. Um estudo feito pelo conselho defende o consumo moderado da cerveja para os atletas como fonte de hidratação diária. Além de matar a sede e relaxar, uma “gelada” ajuda na recuperação após a prática esportiva.

Pedalar é preciso

A Volta da França é uma das provas mais difíceis do ciclismo mundial porque leva os participantes quase à exaustão em seus mais de três mil quilômetros, mas é também uma espécie de vitrine de alguns dos pontos turísticos mais deslumbrantes do continente. Na etapa de 196,5 quilômetros disputada segunda-feira, os ciclistas passaram pelas praias do Mediterrâneo, cruzando por Marselha em direção a Grande-Motte, no sul da França. Costuma ser um show de imagens. A propósito, como anda a Volta de Santa Catarina? Será que o eterno presidente da Federação Catarinense de Ciclismo, o João Carlos Andrade, jogou a toalha? Pelo jeito a fonte secou e Andrade perdeu a sustentação para um evento deste porte. O que se lamenta porque em matéria de belezas naturais a nossa “Volta” também tinha lá os seus encantos, além de chamar a atenção da mídia nacional.

Os números não mentem

Quando o time vai bem ninguém reclama da arbitragem, muito menos da sorte ou da falta dela. É só começarem os problemas e o vento muda de direção. O Avaí, na voz do presidente Zunino, só está na lanterna do Brasileiro por culpa da imprensa e dos árbitros, todos com má vontade extrema com o clube. Alguém avise o presidente avaiano que os números de nove rodadas – apenas sete pontos e só uma vitória – é que contam a verdade desta campanha.

Dedo duro

O Ronaldo, quem diria, entregou o presidente, corintiano roxo, ao confessar no programa “Bem Amigos” do SportTV que Lula “indicou algumas empreiteiras” para ajudar o clube na construção do seu centro de treinamento. A turma de Brasília que não tem telhado de vidro promete investigar. Sinal de que o assunto não vai adiante.

  •  

Deixe uma Resposta