• Postado por Tiago

INTERNA-ABRE-PAG-23---s---treino-do-marcilio-(16)---felipe-vt

Jogadores treinam pra tentar melhorar a fase

É muito fácil chegar ao estádio Dr. Hercílio Luz, comprar um pacote de pipocas, sentar na esquenta-galho ou na arquibancada coberta e ficar xingando o time do Marcílio Dias, que só tá fazendo vergonheira em campo. Reclamar do goleiro que toma um frango, da zaga aberta, do meio-campo perdido e do ataque que não faz gols. Mas difícil é entender as razões que levam um time a desabar em campo após tomar um gol, perder duas partidas dentro de casa e ir treinar com cara de enterro. Tentando saber um pouco do que anda rolando nos bastidores do Gigantão das Avenidas, a reportagem questionou a marujada sobre esta fase infernal do Rubro-anil ? rebaixado no Catarinense e lanterna na série C do Brasileiro.

O zagueiro Vítor, que joga no Marinheiro desde as divisões de base, sabe bem como os fatores extra-campo influenciam no resultado de um jogo. ?Claro que sim, a cabeça do jogador também manda?, disse. Ele não quis citar exemplos, nem falar o que rola pra que a marujada não tenha regularidade em campo, mas deu a dica. ?A maioria de nós tem família, é complicado quando coisas ruins acontecem fora de campo, acaba influenciando em tudo?, concluiu.

Já o técnico Ronaldo Alfredo acredita que a má fase é resultado de um conjunto de fatores. ?A torcida já vem pro estádio pensando que o time tá mal. Os últimos confrontos foram ruins, assim até os jogadores mais experientes podem ficar apáticos?. O técnico afirmou ainda que o adversário que vem pra Itajaí já sabe que o campo é ruim e que a marujada tá nervosa, por isso acaba aproveitando esse momento.

O que fazer?

Pra Vitor, a receita é jogar com mais tranquilidade. ?Também será bom jogar fora de casa, voltar com um bom resultado e dar outro ânimo pra situação?. O jogador, que torceu o pé esquerdo no treino de terça, ficou de fora da ralação ontem.

Ronaldo também acha que jogar em Criciúma será um bom fator. ?Nossos jogos fora são melhores e temos um contra-ataque forte. Temos que aproveitar o nervosismo do Criciúma, assim como aproveitaram o nosso aqui?, finalizou.

  •  

Deixe uma Resposta