• Postado por Tiago

Ademir (E) mandou Marcos apertar o gatilho da arma que matou Nickson

A casa caiu pro matador do pintor Nickson Roger de Moraes Bezerra, 26 anos, morto na noite de 9 de setembro, no bairro da Barra, em Balneário Camboriú. Os tiras da central de Investigação da Polícia Civil apresentaram ontem Marcos Barcelos, 22, o Marquinhos, como sendo o traste que apertou o gatilho do revólver que matou o pintor.

O suposto mandante do crime, o trafica Ademir Antunes, 25, também já está em cana. O acusado afirma que não tem nada a ver com o assassinato. Ele garantiu que é trabalhador, que tinha bronca pra cumprir com a justiça do Paraná, mas que tá limpo. ?Não tenho nada que ver com a morte de Nickson?, contou à reportagem do DIARINHO. O traste foi encaminhado ao presídio de Balneário, onde terá que se explicar pra justa. Já Ademir preferiu ficar de bico calado e só fez sinal com a cabeça querendo dizer que não participou da treta.

A chapa do Marcos começou a esquentar na noite de quinta-feira. Com um pedido da justa embaixo do braço, os homisdalei bateram numa choperia da Barra Sul, onde o traste trabalhava como garçom, e deram o teje preso. Os tiras deixaram o rapaz detido até ontem, quando conseguiram tomar todos os depoimentos e confirmar a suspeitas de que Marquinhos foi o matador de Nickson.

Pra polícia, a vítima era chegada numa pedra do capeta. Como devia 500 pilas pro trafica, foi mandado comer capim pela raiz. Pra cobrar a dívida, na noite de 9 de setembro o traficante bateu na casa 487 da rua Jardim da Saudade, atrás do pintor. O traficante chegou acompanhado de Marquinhos, que tava maquinado com um trabuco e resolveu acertar as contas enfiando uma bala na cabeça do viciadinho. ?Ele é matador e foi ele quem atirou no Nickson?, conta o delegado Eliomar Bebber.

Depois do assassinato, atirador e mandante fugiram a bordo do Fiat Brava, placa KIG 9580, que pertence a Ademir. O carango foi visto pela galera que vive na região. Com a identificação da placa do possante, foi fácil pros puliças chegar ao proprietário. O cara foi preso três dias depois do crime.

Com a identificação do mandante do crime, os homisdalei começaram a quebrar a cabeça pra chegar ao atirador. Depois de ouvir alguns bizolhudos de plantão, colaram na rabeta de Marquinhos. Descobriram que o malaco é natural de Foz do Iguaçu, voltou pra terra natal pra tentar sisconder, mas há 10 dias teve que voltar pra Maravilha do Atlântico Sul pra fugir dos desafetos.

O delegado Beber afirma que Marcos não é flor que se cheire. Se criou no meio da bandidagem de Foz do Iguaçu e seria a prova de que filho de peixe, peixinho é. ?Ele é filho de um traficante do Paraná e está jurado de morte em Foz?, afirma. O rapaz teria mandado pra terra dos pés juntos um desafeto e estaria com a cabeça pedida pelos malacos daquela área, que querem vingar o assassinato do companheiro.

  •  

Deixe uma Resposta