• Postado por Tiago

Os dias de liberdade acabaram pro Jonas Ferreira, 34 anos. O cara foi preso assim que o galo cantou, na manhã de ontem, trampando numa obra de um prédio do centro do Balneário Camboriú. O peão é acusado de matar uma grávida com quem teve uma discussão no Paraná.

Policiais civis de Camboriú souberam que o matador vivia pela região e resolveram grampeálo assim que o solzão deu as caras. Antes que o peão suasse a camisa e metesse a mão na massa, os homisdalei deram o atraque num prédio em construção ao lado do mercado Mersck da avenida do Estado, onde o carinha prestava serviço como pedreiro.

Apesar do susto, Jonas não resistiu à prisão e aceitou numa buena e pulseira de aço. Pro delegado de Camboriú, Fábio Osório, o sujeito admitiu que deve pra dona justa do Paraná desde 2004, quando matou uma grávida que não teve o nome revelado. “Agora ele estava com emprego fixo e fazendo tudo certinho, mas admitiu que em 2004 matou a mulher e agora terá que pagar”, contou o dotô.

Com a prisão, Jonas prestou depoimento na delegacia da cidade da pedra e foi mandado pra trás das grades do xilindró. Ele deverá passar uns dias na cadeia da Maravilha do Atlântico Sul e será transferido pro xadrez de Guarapuava, no Paraná, onde tem que pagar pela bronca.

O delegado Fábio conta que a equipe de investigação da polícia civil descobriu que o liso tava pela região há um mês. Desde então começaram uma investigação formiguinha e reviraram os municípios vizinhos pra achar o sujeito. “Há um mês estávamos investigando, já que só tínhamos as características e o nome dele”, explica.

Matou a dona do bar

O crime rolou em 2004. A vítima, que estava grávida de cinco meses, era dona de um bar em Irati, no Paraná, município que fica a cerca de 150 quilômetros da capital Curitiba. Na noite do crime, Jonas e um colega encheram os cornos no boteco e arrumaram confusão na hora de acertar a conta.

A polícia informou que o malaco pagou de macho pra cima da mulé e não concordou com o valor da dívida. Os dois tiveram uma discussão e no meio do arranca-rabo Jonas sacou um trabuco que carregava na cinta. Com o calor das emoções, o covarde nem parou pra pensar e apertou o gatilho contra a grávida.

A mulher tomou dois tiros na barriga e caiu no chão mortinha da silva. O feto também não sobreviveu e morreu antes de receber o socorro. Já o atirador conseguiu simandar e vivia desde então escondido na cidade da pedra. Arrumou um emprego e tentou reconstruir sua vida, mas foi descoberto e terá que pagar pelo crime atrás das grades.

  •  

Deixe uma Resposta