• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-OITO-ABRE-cristais-mafra-av.-sete-de-setembro---foto-Felipe-VT-01

João Alexandre Mafra (detalhe) foi morto quando dormia

O mistério sobre a morte do empresário João Alexandre Mafra, 65 anos, terminou na noite de terça-feira. O assassino do dono da empresa Cristais Mafra foi preso e confessou o latrocínio ? roubo seguido de morte. Ele contou que matou a vítima em legítima defesa, porque os dois tiveram uma briga no quarto do hotel Glória, onde tavam hospedados. O cara simandou da city, passou numa zona onde gastou parte da grana roubada e depois se hospedou num hotel com uma garota de programa. O delegado responsável pelo caso ainda revelou que o empresário peixeiro foi morto enquanto dormia e nem teve tempo de se defender. Covardia!

Carlos Roberto Sasse Scheffer, 38 anos, foi preso no município de Marau, uma pequena cidadezinha próxima de Passo Fundo, ambas no Rio Grande do Sul. O traste já tava pedido pela dona justa gaúcha por um estupro praticado em 2008 (veja ao lado). Na terça-feira, a polícia civil recebeu uma denúncia de que ele tava na city dinovo e agora também era suspeito do latrocínio no município de Santiago/RS. O delegado de Marau, Rodrigo Kegler Duarte, confirmou que o criminoso chegou na madrugada de terça-feira na cidade, passou num inferninho onde curtiu uma balada e depois se instalou num hotel junto com uma garota de programa. Tudo bancado com os cerca de mil reais roubados da vítima.

O traste foi preso por volta das 18h de terça-feira no quarto do hotel. O bandido tava com o Civic, placa MEJ 0340 (Itajaí), caixas de cristal, documentos da vítima, um pouco de dinheiro e um talão de cheque da Cristais Mafra. Na depê, a garota do programa contou que não tinha nada a ver com a morte do empresário e que seus serviços tinham sido contratados de madrugada. A informação foi checada e ela foi liberada.

Carlos Roberto não teve mais saída e confessou o latrocínio. Ele disse que matou o empresário porque os dois discutiram. Contou que o patrão tava bêbado e eles saíram no tapa no quarto. O tanso chegou a falar que João Alexandre jogou um extintor de incêndio contra ele. A história não colou já que, segundo a perícia da polícia civil, o quarto da vítima não tava revirado. ?A versão dele é pouco confiável?, adiantou o delegado Rodrigo.

Após o depoimento, o desalmado foi enviado ao presídio de Passo Fundo. Já os bens da vítima, encontrados com o assassino, serão devolvidos à família.

Morto enquanto dormia

O delegado João Carlos Brum Vaz, responsável pelas investigações do latrocínio do empresário, revelou ontem que João Alexandre foi morto enquanto dormia. O laudo da perícia informou que não houve luta corporal no quarto do hotel Glória. ?Eu acredito que ele nem se mexeu. Estava dormindo quando foi morto.?, contou o dotô. O quarto tinha duas camas, numa delas tava o corpo da vítima e na outra os óculos e os remédios do coitado, junto das duas latas de cervejas fechadas, compradas pelo assassino no hall do hotel, antes do crime.

As portas do quarto da vítima não tavam arrombadas e o delegado não soube informar como ele entrou, já que os dois tavam em quartos separados. A vítima dormia no quarto 106 e o bandido no 104. ?As duas chaves foram abandonadas pelo criminoso, na saída da cidade, perto da BR-287, em frente a associação do banco do Brasil?, contou.

Foram justamente as chaves do quarto que levaram a polícia até ao corpo do empresário. Uma pessoa as encontrou e ligou para o hotel. O pessoal do hotel, pensando que os clientes tinham dado o pinote sem pagar, subiu nos quartos e encontrou o empresário morto. ?Ele tava deitado de lado e tapado com o lençol?, relembra. O delegado acredita que a vítima foi morta 10 horas antes de ser encontrada. O criminoso arrancou o pé de uma cadeira, que estava no quarto onde ele tava hospedado, pra matar o patrão com uma paulada certeira na cabeça.

O responsável pelo caso não quis arriscar se o crime foi premeditado ou não. ?A gente não conseguiu definir se foi premeditado ou não, mas acredito que ele já subiu pensando em fazer isso. Viu a vítima dormindo e bateu a tentação?, arriscou o dotô. O delegado espera concluir o caso na próxima semana. A prisão do matador já foi pedida à justa.

INTERNA-POLÍCIA-OITO-SEGUNDA-p---morte-cristais-mafra---.jpg-(2)

Peças de cristal foram encontradas no carro do empresário

  •  

Deixe uma Resposta