• Postado por Tiago

Alessandra Aparecida Kresuch, 28 anos, moradora dos Cordeiros, em Itajaí, tá indignada com a situação que viveu ontem em uma lotérica do São Vicente. Conta que tava com a filhinha de 10 meses no colo e mesmo estando na fila preferencial foi ignorada pela atendente. “Ela deixou as pessoas passarem na minha frente, foi muito mal-educada”, lasca.

Alessandra sabe dos seus direitos e por isso tá inconformada com a situação. Ela disse que a tal lotérica da atendente sem-noção fica na rua Estefano José Vanolli, encostadinha num posto de combustíveis. “Na hora eu não falei nada porque não gosto de confusão, mas procurei a Procon. Espero que depois dessa reportagem não aconteça essa situação com mais ninguém”, disse.

Rola multa

Rodrigo Bucussi, advogado da Procon de Itajaí, explicou que em casos como este a pessoa prejudicada deve ir no órgão de defesa do consumidor com duas testemunhas. Depois disso, um procedimento administrativo é aberto e pode render multa das brabas. “Isso é um fato grave e não pode acontecer. A fila preferencial é garantida por lei”, afirmou.

  •  

Deixe uma Resposta