• Postado por Tiago

O conselho tutelar já mandou a prefeitura dar um jeito, mas diz a leitora que até agora nada de resolverem

INTERNA-8---ABRE-ILUSTRAÇÃO

Desde outubro do ano passado, a vendedora Patrícia Seberino, 27 anos, tá atrás de uma creche para o filhinho de três anos. Ela precisa conseguir uma vaguinha no jardim de infância perto de sua casa, no bairro São João, em Itajaí, mas até agora necas de pitibiriba. Até o conselho tutelar já ordenou que a secretaria de educação arranje um lugar pro garotinho, mas o máximo que conseguiram foi uma creche no bairro Fazenda, lá pra onde Judas perdeu as botas.

Patrícia vive com o filhotinho e o marido na rua Germano Rosa, no São João. A luta da família já se arrasta por oito meses. Cansada de esperar, no mês passado a mamãe conseguiu um documento do conselho tutelar de Itajaí, exigindo que a secretaria de educação conseguisse uma vaguinha para o menino. Foi aí que mandaram Patrícia botar o filho numa creche na Fazenda. ?Não tem cabimento. Têm duas creches ali do lado?, diz Patrícia, se referindo aos jardins de infância perto de onde mora.

Como os pais não tinham condições de manter o garotinho em casa, em abril o filho teve que ir pra Blumenau. ?Aqui nós não temos ninguém. Minha família é toda de lá [Blumenau]. E ele tá lá, com a minha mãe doente?, lamenta a vendedora. ?A gente entende os problemas de Itajaí. Mas eu não posso ficar longe do meu filho?, completa, entristecida.

Patrícia sabe que ela e o marido podem entrar com um processo contra a secretaria de educação. Mas diz que, por enquanto, não vai acionar a dona justa, pois não tem dinheiro pra pagar um advogado e porque sabe da burocracia judicial. ?Pra nós não vale a pena?, afirma.

A vendedora conseguiu marcar um audiência para dois de julho com Maria Heidemann, secretária de educação da prefa. Já cansada de tanta enrolação, Patrícia admite que tem poucas esperanças de resolver o problema.

Tem que aguardar lista de espera

Um moça que trampa no departamento de educação infantil da secretaria de educação, que se identificou como Rosilene, confirmou que tá faltando vaga em Itajaí, principalmente nos berçários.

Ela disse que o melhor pra mamãe é ir diretamente ao departamento e passar todos os dados dela e do bebê. Assim, aguardará numa lista de espera. Outro procedimento é ir à creche mais próxima de onde mora e também fazer um cadastro.

Essa lista de espera demora pra dedéu porque, admite a funcionária, é difícil haver desistências da alunada miúda.

Conseguiram a vaga

Ontem à tardinha, através da assessoria de imprensa da secretaria de educação, a diretora de ensino infantil, Sueli Costa, informou ao DIARINHO que pintou uma vaga para o filhote de Patrícia numa creche do bairro São João. Pra isso, Patrícia terá que correr ainda hoje até a secretaria pra encaminhar a documentação.

  •  

Uma Resposta to “Mãe pena oito meses pra pôr o filho na creche”

  1. jader Diz:

    Patricia Analize bem esta creche, pois tem váris creche com criança somente um periodo e mesmo assim quando chove, quando a mãe fica com preguicinha de levar não vão, tirando o lugar de quem precisa, e mais é lei do municipio ter que dar esta vaga, grite pois só assim o povo entende aqui em Itajai, não temos outro jeito amiga

Deixe uma Resposta