• Postado por Tiago

PAGINA-9-BASE-peixe

Bragres apareceram de barriga pra cima no fim de semana

Os barnabés da secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú vão contratar um técnico pra analisar a qualidade da água do rio Camboriú. Eles querem descobrir qual foi a causa da morte de cerca de 50 bagres que apareceram boiando no fim de semana. Um leitor do DIARINHO fez a denúncia e desconfia que a mortandade rolou porque foram jogados agrotóxicos no rio pelos produtores de arroz.

Preocupado com a situação, o secretário do Meio Ambiente, André Ritzmann, pretende contratar um técnico que possa coletar e fazer a análise da água. O barnabé pensa em chamar algum professor entendido da Univali. Com o teste, quer constatar se a morte dos peixes foi causada pela poluição ou por uma possível contaminação por veneno de plantações.

O abobrão desconfia que a mortandade foi motivada pela mistura da água poluída do rio com um curso d?água que fica perto das marinas e impede o fluxo dos cardumes. ?Eles podem ter chegado até ali e ficado sem oxigênio?, supõe. Apesar da suspeita, não descarta a possibilidade também de um barco de pesca ter largado os peixes mortos.

André afirma que soube da mortandade no sábado à tarde e mandou um fiscal até o local. Conta que o sujeito rodou de um lado pro outro do rio, mas não soube apontar uma causa pra desgraceira, já que os peixes estavam espalhados e nada na região indicava um possível crime ambiental. ?Se estivesse vindo de um determinado lugar, a gente poderia apontar o que é prejudicial?, explica.

Mesmo sem identificar um motivo concreto pro problema, o secretário duvida que os peixes morreram por causa dos agrotóxicos jogados no rio pelos produtores de arroz, como desconfia o denunciante que escreveu ao DIARINHO.

Recuperar o rio

Pra diminuir a poluição do rio Camboriú, foi aprovado em 19 de novembro, na câmara de vereadores, o projeto ?Produtor de Águas?, que libera a empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) a dar cerca de R$ 2 mil por ano pros proprietários rurais. Pela proposta, os rizicultores recebem a bufunfa pra deixar de produzir nas terras da margem do rio que serão usadas pra um trampo de reflorestamento.

O projeto será tocado pela parceria entre o comitê da bacia hidrográfica do rio Camboriú e entidades sociais do Balneário e de Camboriú que pretendem recuperar a mata ciliar dos rios que cortam a região.

  •  

Deixe uma Resposta