• Postado por Tiago

INTERNA-ABRE-PAG-22---karate-itajai-(de-azul)-e-florianopolis---foto-Felipe-VT074

Um bom chute no pé-do-ouvido dava o título pras peixeiras

Textos Anderson Bernardes

Fotos Felipe VT

De Chapecó

Faltou um golpe pras caratecas itajaienses ficarem com o título da disputa do kumite ? a categoria da pauleira ? por equipes e levantarem o troféu de campeãs do caratê dos jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), em Chapecó. As peixeiras foram derrotadas pelas meninas de Floripa na final por equipes por apenas três pontinhos de diferença (80 a 77). Se numa das três lutas da final Itajaí tivesse conseguido mais um golpe com o pé na cabeça de uma manezinha, o caneco tava na mão. No fim das contas, Joinville levou o título, Itajaí ficou em segundo e Floripa em terceiro.

A disputa pelo troféu do caratê feminino foi sempre entre Joinville e Itajaí. A vantagem das bailarinas era de nove pontos na classificação geral. Pra ficar com o caneco, Itajaí teria que ser campeã do kumite por equipes e Joinville teria que ficar em terceiro. Se Itajaí chegasse em segundo, Joinville teria que ser quarto.

A competição não podia começar melhor pra Itajaí. Joinville perdeu pra Floripa logo de cara, já não tinha mais chance de chegar à final e lutaria a repescagem pra ficar em terceiro, no máximo. O título ficou nas mãos, e nos pés, das peixeiras.

As blumenauenses foram as primeiras vítimas de Itajaí. Na primeira luta, Valéria Kumizaki partiu pra cima da alemoa e com dois socos nas fuças e mais dois no corpo, abriu 4 a 0. Depois a peixeira deu uma bobeada, levou dois golpes e terminou o combate num 4 a 2.

Na segunda luta, Ketlin Schluter ficou na frente até o último segundo, mas levou um golpe com o cronômetro zerado e terminou empatada em 5 a 5 com a blumenauense. Lucilaine Nardes foi pra briga com os dois pontos de vantagem conquistados por Valéria na primeira luta e não deu chance pra alemoa. Fez 8 a 0 rapidinho, acabou com o combate e eliminou Blumenau.

O confronto da semifinal, contra as marrecas de Brusque, só teve duas lutas. Na primeira, Shirley Steffen fez 6 a 2. E faltando 13 segundos pra acabar o segundo combate, Valéria acertou um chute na cabeça da marreca e garantiu outra vitória por 8 a 0. Com diferença de 13 pontos em duas lutas, Itajaí não podia mais ser superada e foi direto pra final.

A grande final

Valéria foi a primeira peixeira a lutar na final contra as manezinhas. A essa altura do campeonato, Joinville já tinha garantido o bronze por equipes e Itajaí tinha que ser campeã pra levar o troféu da modalidade. A carateca peixeira foi surpreendida no início da luta e tomou um golpe depois de ser derrubada pela adversária: 3 a 0 Floripa.

Mas a baixinha não entregou os pontos, partiu pra cima e virou o jogo. No último segundo, tomou um golpe e a disputa ficou empatada: 4 a 4. Na segunda luta, Ketlin ficou atrás até conseguir um empate em 5 a 5. Mas a manezinha voltou a bater forte e fechou a luta com vantagem de dois pontos pra Floripa.

Lucilaine ficou com a responsa de virar o placar. No primeiro minuto, a peixeira abriu 3 a 0, resultado que dava o título pra Itajaí. Mas a manezinha reagiu, empatou a luta em 4 a 4 e selou a vitória da capital.

Os cuecas do caratê de Itajaí terminaram a disputa do kumite por equipes em quinto lugar e também ficaram em quinto na classificação geral. O caneco foi pra Floripa, a prata ficou com Joinville e Jaraguá do Sul levou o bronze.

  •  

Deixe uma Resposta