• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-CINCO-ABRE

As armas tavam no quardo do polícia que recebeu a visita dos homisdalei

O soldado Antônio Carlos Galvão, 35 anos, mais conhecido como Galvão, foi preso ontem por porte ilegal de armas. No apartamento foram encontradas cinco armas, sendo que três delas estavam ilegais. Um dos trabucos é de uso exclusivo das forças armadas. Os homisdalei investigam se o fardado está envolvido com o assassinato de Cauê Arnoldo Fischer, 18 anos, que rolou em 25 de setembro do ano passado.

Policiais da equipe de investigação da Deic bateram no apê do beco Hilda Bela Cruz da Silva, no bairro Fazenda, e encontraram mais do que esperavam, no começo da manhã de ontem. No quarto de Galvão os policiais encontraram cinco armas.

Entre elas estavam dois revólveres calibre 32, um 38 e um trabuco 350 Magnum usado por atiradores de elite e de uso restrito da polícia Federal, todos sem porte ou registro. Tinha também uma pistola calibre 380 e uma espingarda calibre 12, que faz um baita furo no que atinge. ?Nós fomos atender uma determinação da justiça e encontramos as armas. Como ele não tinha porte, o prendi por porte ilegal de armas?, disse o delegado Alexandre Carvalho de Oliveira, do Grupo de Diligências Especiais (GDE) da DEIC.

No apartamento também foram encontradas fotos de vítimas de assassinatos em Itajaí. Algumas das imagens foram feitas nos locais dos crimes e outras de corpos que passavam por perícia dentro do instituto Médico Legal (IML) peixeiro. Com o flagrante, o meganha recebeu o teje preso e foi levado pra sede da diretoria de Investigação Criminal (Deic) em Floripa.

Os policiais trabalham agora pra descobrir o que Galvão fazia com tanto trabuco em casa e com fotos de gente assassinada. Será aberto um inquérito pra apurar como as imagens foram feitas, principalmente as tiradas dentro do IML.

  •  

Deixe uma Resposta