• Postado por Tiago

Seis novos computadores passam a integrar o telecentro da Colônia de Pescadores Z-7, localizada no bairro da Barra, em Balneário Camboriú. O convênio entre as associações de pescadores e o Governo Federal, que levará a pequenos pescadores 180 equipamentos em todo o Brasil, trouxe à cidade, na noite de terça-feira (26), o ministro Altemir Gregolin, da Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca (SEAP). 

O convênio vem beneficiar o já existente projeto denominado “Beija-Flor”, que contempla a informatização dos pescadores artesanais e de suas famílias, mas que mantinha cinco computadores já ultrapassados em tecnologia no telecentro da Colônia Z-7. Os seis novos equipamentos integram parte das reivindicações dos pescadores locais, que aproveitaram a vinda do ministro para reforçar outros pedidos já realizados e que estão paralisados desde 2007. Entre eles, mais de 30 licenças de pesca, o aumento do prazo de negociação do subsídio do óleo diesel, que atualmente é de sete dias, a diminuição das dificuldades na liberação de recursos do Pronaf Pesca (Programa Nacional de Agricultura Familiar) junto ao Banco do Brasil, e a principal solicitação, que é a formatação de um convênio com o Governo Federal, para auxiliar a Colônia de Pescadores a construir uma nova sede, mais próxima ao rio Camboriú.

O grande problema exposto ao ministro e, em nome dos pescadores, defendido pelo vice-prefeito Cláudio Fernando Dalvesco, é em razão do sofrimento desses trabalhadores que hoje, para abastecer suas embarcações, precisam carregar galões de óleo diariamente, por mais de uma centena de metros, entre a colônia e o rio Camboriú, onde estão atracadas. “Não é justo que os pescadores, hoje, necessitem atravessar a rua com galões de óleo, sendo que existe um terreno que pode ser adquirido ao lado do rio. Tenho certeza que nosso prefeito irá lutar para que saia a permuta dos terrenos, e que isso se torne realidade”, disse Dalvesco, emocionando os pescadores presentes.

Segundo declarou o ministro Gregolin, a intenção do Governo é de estar mais próximo dos pescadores artesanais, entendendo e procurando atender as suas necessidades. “Governo e setor devem estar abraçados em uma mesma estratégia. Ou a gente se abraça, ou não avança”, analisa o ministro, lembrando que a Colônia Z-7 foi a primeira a ser contemplada com o subsídio do óleo diesel e que, em breve, Itajaí e Balneário Camboriú irão receber duas fábricas de gelo. “Tudo será encaixado conforme as demandas, as necessidades”, esclareceu o ministro, que é catarinense.

  •  

Deixe uma Resposta