• Postado por Tiago

Greve não durou um dia

Não durou nem 10 horas a greve dos monitores da educação de Balneário Camboriú. Os 280 profissionais das creches lutam pra serem incluídos no plano de carreira do magistério. Eles armaram um berreiro no comecinho da manhã de quinta-feira e levantaram acampamento horas depois, assim que 90% dos servidores aceitaram a proposta do prefeito Edson Periquito (PMDB), de formar uma comissão pra avaliar a solicitação.

Quase 10 horas depois do início da greve, os monitores da rede municipal de educação toparam suspender o beicinho. Foi feita uma assembleia geral com todos os manifestantes que estavam por lá e o presidente do sindicato dos Servidores Municipais, Gilberto João Dalla Nora, apresentou a proposta do prefeito-ave. Quase todos os funcionários toparam o acordo e resolveram parar com o berreiro.

Ficou acertado que nos próximos dias será formada uma comissão especial mista pra avaliar a possibilidade de incluir a categoria no estatuto de planos e carreira do magistério público. O pessoal quer ser reconhecido como integrante do magistério e receber um salário igualzinho dos professores auxiliares. Com isso, deixariam de ganhar a merreca de 700 pilas pra receber R$ 1,2 mil.

O pedincho rola há mais de ano. A solicitação é prevista pela lei de diretrizes e bases da educação nacional, do governo federal. Há quatro anos, a classe migrou da secretaria do Trabalho pra de Educação. Com isso, os monitores se formaram na faculdade, mas não conseguem o reconhecimento do grau superior.

A comissão

A comissão mista que irá avaliar se a classe pode ser incluída no plano de carreira do magistério será formada por um cara da prefa, o vereador Orlando Angioletti (DEM), que é presidente da comissão de educação na câmara, além de um representante do sindicato e três monitoras.

A galera terá que avaliar se realmente é possível fazer o plano. Deve ser avaliado se a solicitação não vai quebrar os cofres públicos e se realmente dá pra fazer a modificação dentro da lei. ?O prefeito que programe isso pro orçamento do ano que vem?, lascou Gilberto. O presidente do sindicato afirma que a medida é permitida, já que rolou também já nas citys de Blumenau, Santo André, em São Paulo, e Poconé, no Mato Grosso.

A comissão terá seis meses pra fazer todo o trabalho. Depois de pronto, o papéli terá que passar pela aprovação dos homens da casa do povo pra se tornar lei. ?Ano que vem eles (monitores) poderão estar no plano de carreira do magistério?, acredita Gilberto.

  •  

Deixe uma Resposta