• Postado por Tiago

Máquinas começaram o trampo ontem

A peãozada da empreiteira Baltt começou ontem a demolição do prédio onde um dia seria instalado o Caseca Shopping. O monstrengo foi comprado pela empresa Brashop, dona da rede de lojas Havan, num leilão autorizado pela dona justa do trabalho, e agora vai dar lugar a mais uma filial da Casa Branca brasileira na Santa & Bela, a Havan, com direito a estátua da liberdade e tudo mais.

Ontem pela manhã, 13 peões e mais um engenheiro chegaram ao terreno, que fica às margens da avenida Sete de Setembro, pertinho do teatro municipal, pra começar o trampo. Duas retroescavaderias e mais um caminhão são utilizados pra destruir a estrutura capenga e retirar os entulhos do local.

A expectativa é de que, dentro de 15 dias, não exista mais nada no terrenão. Todo o entulho dos restos mortais do prédio do Caseca será jogado num aterro específico pra materiais de construção de propriedade da empreiteira contratada pra fazer a demolição.

Não tava embargado?

Até quarta-feira, a demolição não podia ser feita porque uma liminar do juiz Rodolfo Cezar Ribeiro da Silva, da vara da Fazenda Pública peixeira, impedia que a secretaria de Urbanismo da prefa emitisse um alvará de demolição. A liminar atendeu a um pedido da empresa Joconte Participações, que teima em dizer que é a verdadeira dona do terreno.

A situação mudou quando, a pedido dos advogados da Brashop, a dona justa do trabalho ordenou que a prefa autorizasse a demolição.

O advogado da Brashop, Pedro Dutra da Silva, explicou que a decisão de proibir a demolição só poderia partir da própria justiça do trabalho. ?O que eles (a Joconte) estão querendo é anular um ato da justiça do trabalho através da justiça comum e isso não é possível?, lasca. ?A justiça do trabalho entende que o terreno é do nosso cliente e que ele pode, sim, demolir o imóvel?, completa.

  •  

Deixe uma Resposta