• Postado por Tiago

INTERNA-13-ABRE-r-shopping-caseca-fazenda-011

Essa coisa horrorosa vale R$ 15 milhões

O leiloeiro Rodrigo Schmitz, responsável pela venda do prédio monstrengo que um dia iria abrigar o Caseca Shopping, pertinho de teatro municipal peixeiro, diz que o imóvel será vendido em breve. Um leilão rolou na tarde de quinta-feira, mas ninguém arrematou o prédio, que agora vai pra venda direta. A galera que se interesssar e tiver pelo menos uns R$ 7,5 milhões no bolso pode acessar o endereço www.clicleiloes.com.br, na internet, pra saber certinho o que fazer pra comprar aquele monumento bisonho.

Cerca de 15 pessoas, de acordo com o leiloeiro, apareceram no leilão para acompanhar os lances, que acabaram não acontecendo. Rodrigo acredita que pelo menos cinco pessoas interessadas na compra do imóvel estavam de olho no martelinho, mas que a liminar que declarou o bem indisponível, caneteada pelo juiz Rodolfo Cezar Ribeiro da Silva, deixou o pessoal com a pulga atrás da orelha. Na última hora, uma empresa apareceu pra dizer que era dona do terreno do Caseca.

O imóvel está avaliado em R$ 15 milhões e o lance mínimo do leilão era de R$ 7,5 milhões. Como ninguém se animou em fazer uma proposta, o Tribunal Regional do Trabalho autorizou o leiloeiro a fazer a venda direta. Nesse caso, Rodrigo Schmitz receberá as propostas de possíveis compradores e venderá o imóvel com a autorização da dona justa trabalhista, que entende que o terreno é, sim, do Caseca, que deve mais de R$ 5 milhões em ações trabalhistas e mais de R$ 35 milhões em multas decorrentes destas ações.

A liminar

Na véspera do leilão, o juiz da vara do trabalho de Itajaí, Rodolfo Cezar Ribeiro da Luz, caneteou uma liminar a pedido da empresa Joconte Fomento e Participações Ltda, que se diz dona do terreno, pois o teria comprado de Caseca. Com o canetaço, o imóvel ficou indisponível e a prefa peixeira terá que depositar a grana referente ao monstrengo em juízo, pra que as contas de Caseca com a dona justa do trabalho sejam quitadas. Tudo isso, porque a prefa teria passado o terreno pro nome do construtor do monstrengo em troca de obras que ele tinha que fazer em favor do município e nunca fez.

  •  

Deixe uma Resposta