• Postado por Tiago

O morador de Balneário Camboriú, Rodrigo Moisés, 32 anos, teve seu cartão de crédito clonado. O rapaz desconfia que a cópia do trequinho foi feita há quase dois meses quando ele fez compra de uma jaqueta pela internet através de um saite que vende produtos pra motociclistas.

O diretor de arte só descobriu a falcatrua este mês quando abriu o extrato do cartão e descobriu que foram comprados no seu nome uma passagem de avião parcelada em três vezes de R$ 400 e um ingresso de cinema. Depois de comprovar que não fez a compra, entrou em contato com o banco Bradesco e conseguiu cancelar alguns gastos, mas aguarda a confirmação da baixa da aquisição da passagem aérea.

Como continuou com a pulga atrás da orelha, passou a verificar o que podia ter acontecido. Depois de bater um papo com um colega de São Bento do Sul, descobriu que o problema tinha rolado com várias pessoas que acessaram o saite destinado a motociclistas. “A gente não usa o cartão nos mesmos lugares. A única coisa em comum que temos é a compra na loja da internet”, explica.

Por um saite de relacionamento na internet descobriu que outro internauta de outro estado passava pelo mesmo perrengue. Se não receber o dindim divolta, Rodrigo pretende procurar um advogado e o PROCON pra requerer seus direitos na justa. Leia mais na edição de amanhã do DIARINHO.

  •  

Deixe uma Resposta