• Postado por Tiago

Uma cadela pittbull, que tava prenha, foi morta na tarde de terça-feira com um balaço na cabeça durante um atraque dos meganhas à casa 720 da rua Portugal, no bairro das Nações, em Balneário Camboriú. A dona da baia acusa os meganhas de invadirem o local e matarem sua cadelinha. A polícia nega as acusações e afirma que o policial agiu em defesa própria.

Os meganhas da baratinha k-9, aquela que é com cães, rendeu um dos três pedreiros que trampam na construção da casa. O pedreiro Sandro Santos, 33 anos, disse que tava dentro da casa quando os policiais entraram. No mesmo momento, a cadela, que estava solta no terreno, avançou nos estranhos.

Com o ataque, um dos policias deu um tirombaço na cabeça da pobre. “Ninguém mandou atacar, ela morde qualquer um que invade o terreno”, afirma a dona da casa, Camila Andressa Antunes, 23. Ela conta que o bichinho era dócil e até brincava sempre com seu filho de seis anos.

A mulher diz que os três peões que trampam na obra da baia teriam tomado choque dos policiais que procuravam por drogas e armas. Eles afirmam que os meganhas teriam até armado pra prendê-los e enfiado cinco pedras de crack no bolso de um dos pedreiros.

Camila e Sandro desconfiam que os policiais deram o atraque porque o marido da denunciante, Igor de Castro Prata, 29, já caiu por tráfico. “Eu tive envolvimento, mas há três anos tô trabalhando”, afirma Igor. O cara e a muié já procuraram advogado e pretendem denunciar o caso pra corregedoria da PM.

Outro lado

A polícia militar alega que a morte da cachorra rolou em legítima defesa e que o atraque aconteceu durante uma ronda de rotina. Sandro teria sido abordado na frente da casa e corrido pra dentro. No mesmo momento, a cadela atacou os meganhas. “O cachorro só foi morto porque ele poderia matar o policial”, explica o capitão Ronaldo de Oliveira.

O meganha ainda garante que a história da tortura é pura mentira. “A polícia militar lamenta este episódio e solicita que os denunciantes procurem a corregedoria da polícia militar pra averiguar este fato”, disse o policial. O capitão conta que os policiais têm treinamento específico pra lidar com este tipo de situação e relembra que algumas pessoas usam animais ferozes pra brecar o trampo dos homi.

  •  

Deixe uma Resposta