• Postado por Tiago

Moradores já perderam até as caixas d?água

Os moradores do alto da rua Santina Ernesto dos Santos, a rua da escadaria na Fazenda, tão há quase um mês praticamente sem água. Tem gente que já perdeu até caixa d?água – que rachou de tanta secura ? e tomou o último banho de chuveiro no domingo. Alguns moradores não têm grana pra comprar as bombas que puxam a água e pra outros nem a bomba tá dando mais jeito. O Semasa já foi até o local e prometeu uma solução, mas até agora nada.

A estudante Sandra Alice Cofré, 33 anos, diz que no início de novembro as caixas d?água começaram a secar e ela procurou o Semasa. De lá pra cá, a água vem um pouquinho durante uma parte do dia e fica uns cinco, seis dias sem uma gotinha. No dia 18, depois de alguns dias sem resposta, ela ameaçou entrar na Justiça. Dois fiscais apareceram, no mesmo dia, prometeram um laudo que indicaria a solução pro perrengue, mas até ontem nada tinha sido feito e os moradores ainda tavam na seca. Sandra disse que um dos fiscais explicou que o problema é que estas casas tavam pra mais de 60 metros acima do nível da rua e a água normalmente teria força pra subir um 20 metros, no máximo.

Uma das soluções seria a compra de uma bomba pra puxar água da cachoeira ou empurrar da rede, mas a mais furrequinha custaria em torno de R$ 500 e poucas pessoas na rua têm grana pra isso. Além disso, até as pessoas que têm a bomba já tão ficando sem água, como é o caso da dona de casa Maria Rosa Mafra, 40, que tá passando uma trabalheira com o marido e os seis filhos ? o mais novo de seis meses ? pra tomar banho, fazer comida e limpar a casa. À noite, quando um pouquinho de água chega na rua, nem consegue alcançar as casas mais altas.

A galera tem que pegar água na casa dos vizinhos que moram mais embaixo e têm poço pra pelo menos tomar um banho de canequinha e conseguir fazer comida. ?A gente não tem dignidade aqui. Chega do trabalho cansado e não pode fazer uma coisa que é normal pra todo mundo, tomar um banho. Limpar a casa ou tomar um copo d?água com tranquilidade, nem pensar?, lascou Sandra.

Maria conta que na quinta-feira voltou a ligar pro Semasa, mas ontem, até às 17h, nenhum azulzinho tinha aparecido. Ela tá com duas caixas d?água de 750 litros e uma de mil litros vazias no quintal. Pra piorar a situação, a conta de água da família veio bem gordinha: R$ 63,91. Fora a conta de luz que veio quase R$ 70 de tanto que a bomba trabalhou. ?Normalmente a minha conta de luz vem uns 20 a 30 reais?, disse a dona de casa. Sandra também já amargou um preju com a seca. Duas caixas d?água ficaram tanto tempo sem água que chegaram a rachar no sol e ela teve comprar uma outra que – em promoção ? custou 350 mangos.

O que diz o Semasa?

Através da sua assessoria de imprensa, o diretor geral do Semasa, Flávio Faria, admitiu que na rua da escadaria existe um problema crônico porque essa é uma das regiões mais altas de Itajaí. Mas, segundo ele, ontem à tarde uma equipe de técnicos ? que os moradores afirmam não terem visto ? foi até o local verificar a pressão da água pra estudar uma maneira de solucionar o problema.

De acordo com o assessor de imprensa Murilo José, umas das soluções seria a instalação de um booster – uma bomba de pressão de alta potência. Murilo espera ter uma resposta pros moradores até a próxima semana. O barnabé disse ainda que isso vai ser só uma solução temporária e depois que a ampliação do sistema de abastecimento de água estiver completa ? a previsão é pro meio do ano que vem ? nem booster vai ser mais necessário.

  •  

Deixe uma Resposta