• Postado por Tiago

A morte da merendeira Terezinha Custódio, 54 anos, em um porradaço na rodovia Jorge Lacerda, a SC-470, na terça-feira, foi a gota d’água para os moradores dos bairros Portal 1 e 2, que são divididos pela rodovia. A revolta também tomou conta dos alunos e funcionários da escola municipal Tereza Bezerra de Athaíde, às margens da rodovia, onde a vítima trabalhava. Eles tão chamando para uma manifestação domingo às 15 horas, para cobrar das autoridades mais segurança na rodovia.

O protesto que deve parar a Jorge Lacerda por cerca de 20 minutos acontece no trecho onde Terezinha perdeu a vida. A maior reclamação do povão é a falta de redutores de velocidade na rodovia, o que coloca em risco principalmente a criançada que tem que atravessar a estrada para chegar até o colégio.

Antes mesmo do povão decidir paralisar a rodovia, representantes do departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) estiveram na estrada e se comprometeram a instalar uma lombada eletrônica em 60 dias. Os entendidos do Deinfra deram uma passadinha na escola quinta-feira pela manhã, bateram um papo com a diretora, Sandra Regina Maia Martins, e tiraram fotos do trecho.

A diretora explica que por se tratar de uma descida, os motoras aproveitam para meter o pé no acelerador, colocando em risco a segurança dos pedestres. Sandra diz que outra reivindicação do povão da região é a instalação de um trevo na rodovia, com duas bifurcações dando acesso aos bairros Promorar 1 e 2, e uma faixa segura para pedestres. Mas, por enquanto, o governo do estado, responsável pela SC-470, autorizou só a construção da lombada eletrônica.

Sandra conta que a ideia da manifestação partiu de pais de alunos que moram no bairro e teve o apoio imediato da direção da escola. As famílias dos 646 alunos foram convidadas a participar, além dos moradores dos dois bairros. Empresas que ficam às margens da rodovia também convocaram os funcionários pra protestar. “Não queremos causar transtornos no trânsito, por isso escolhemos o domingo. Mas a expectativa é que todo mundo compareça pra se manifestar em favor da segurança”, completa a diretora.

  •  

Deixe uma Resposta