• Postado por Tiago

Moça de 26 anos, que tava grávida de seis meses, morreu no Santa Inês. O bebê dela tá lutando pela vida

A gripe porca pode ter feito a terceira vítima fatal na região. Uma grávida de Itapema, que tava internada há uma semana no hospital Santa Inês, em Balneário Camboriú, morreu com suspeita de ter sido contaminada pelo vírus porcalhão. O bebê da pobrezinha nasceu dois dias antes da morte da mamãe. Ele tá na unidade de terapia intensiva (UTI) dos pequerruchos, em estado grave.

A chefona da vigilância epidemiológica de Itapema, Simone Lora, diz que a mulher, que não teve seu nome divulgado, não chegou a ser atendida na city. “Ela procurou um médico particular em Balneário e dali foi internada”, comentou. Quando chegou ao hospital, no dia 12 de agosto, a coitada já tava bem malzona e foi encaminhada direto pra UTI.

Na última quinta-feira, a mãe tava com tanta dificuldade pra respirar que o bebê não tava mais recebendo oxigênio, e foi preciso fazer uma cesariana de emergência. O nenê, um menino, só foi visto pela mãe uns poucos minutos. Ela não pôde nem segurar o pequenininho nos braços.

Como nasceu três meses antes do tempo e tava recebendo pouco oxigênio na barriga da mãe, a criança precisou ser internada na UTI neo-natal. Por sorte, o nenezinho não tá contaminado pelo vírus que judiou da mamãe, mas tá penando pra sobreviver. “O bebê tá em estado grave, porque o pulmão ainda não tava preparado pro nascimento”, contou o mandachuva do Santa Inês, dotô Eroni Forest.

A moça morreu dois dias depois do parto. O médico confirmou que a coitada tava mesmo na lista dos suspeitos de terem sido contaminados pelo vírus da nova gripe. Ela chegou a ser medicada com Tamiflu, e teve material recolhido pra fazer exames que vão dizer se ela foi mesmo vítima da doença.

Grupo de risco

O chefão do Santa Inês diz que a mulher não tinha nenhum problema respiratório, como asma e bronquite, que pudessem agravar seu estado de saúde. Mas fazia parte do grupo de risco. “As grávidas são vulneráveis porque geralmente têm anemia, e perdem as defesas do organismo”, explicou o médico.

Na noite de domingo, uma outra grávida do bairro das Nações, em Balneário, também foi internada no hospital. Ela tá com um barrigão de oito meses e não precisou ficar na UTI. “Estamos monitorando o caso dela. Se o obstetra achar conveniente, fazemos o parto”, contou Eroni.

O último relatório da comissão técnica da gripe porca na Maravilha do Atlântico diz que até domingo, tinha sido recolhido ranho de 32 pessoas que apresentaram sintomas do H1N1. Nove tão internadas, duas no hospital do Coração e sete no Santa Inês, e 29 tão sendo monitoradas pelo pessoal da vigilância epidemiológica. Ao todo, 52 doentes já receberam comprimidos do remédio que combate a porquinha.

Os casos suspeitos tão sendo atendidos numa tenda de triagem montada na rua 1500, em frente ao posto de saúde central. Desde ontem, a barraca tá aberta 24 horas pra quem estiver com o nariz pingando, febre e dor no corpo.

Já são três as mortes suspeitas de terem sido causadas pelo vírus da nova gripe na região. Além da grávida de Itapema, um corretor de imóveis de Bombinhas e um garotão de 18 anos, de Camboriú, também podem ter sido vítimas da porquinha. Os três morreram no hospital Santa Inês.

  •  

Deixe uma Resposta