• Postado por Tiago

A madrugada de ontem tava do jeito que o diabo gosta. Motoqueiros executaram duas pessoas no meio da rua. Valmir Ribeiro, 30 anos, teve a cabeça perfurada por um tirombaço no bairro Conde Vila Verde, em Camboriú. Maicon Caetano, 20, foi encontrado com quatro balaços na Interpraias, na vizinha Balneário Camboriú. A polícia suspeita que os dois crimes possam ter sido causados por acerto de contas.

No assassinato de Cambu testemunhas contaram à polícia que no comecinho da madruga de domingo Valmir caminhava pela rua Azaleia, pertinho da igreja assembleia de Deus, no Conde Vila Verde, quando dois homens se aproximaram numa moto. O caroneiro sacou uma arma e nem gastou muita munição. Acertou um tiro em Ademir, que caiu morto no quintal de uma casa.

O povão chamou a polícia Militar, que vasculhou o bairro atrás dos assassinos e nada de encontrá-los. A suspeita da polícia é de que o atirador seria do vizinho bairro Monte Alegre e resolveu cobrar uma dívida de Valmir no chumbo grosso. A polícia não soube informar se Valmir era gente boa ou se tinha ficha suja.

Bateu boca com o assassino

Era lá pelas 2h da madruga quando moradores das Laranjeiras avisaram a polícia Militar que escutaram tiros. Logo depois, PMs e bombeiros encontraram Maicon caído na pista da Interpraias. Ele estava com o braço, peito e o lombo cravados com balaços.

Sangrando muito, o jovem já estava quase apagadão e não conseguia falar muita coisa. Os vermelhinhos fizeram os primeiros socorros no local e levaram o gurizão em estado grave pro pronto-socorro do hospital Santa Inês.

Como a situação era crítica, Maicon foi transferido às pressas pra unidade de terapia intensiva (UTI). Apesar dos esforços médicos, o cara não guentou muito tempo e morreu ao raiar do dia.

A polícia encontrou uma testemunha do crime. Ela disse que Maicon estava na rua quando foi abordado por um motoqueiro. Os dois bateram boca por um tempo. O motoqueiro sacou um berro e mandou bala pra cima do jovem. Depois ligou a cabrita e saiu em disparada em direção ao bairro da Barra.

Prováveis acertos de contas

Os dois corpos foram parar no instituto Médico Legal (IML). Os técnicos do instituto Geral de Perícia (IGP) recolheram as balas usadas nas duas execuções. Os projéteis poderão identificar as armas de onde foram disparados os tiros e poderão ajudar a polícia nas investigações. A teoria da polícia é que as duas execuções foram motivadas por acerto de contas.

  •  

Deixe uma Resposta