• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-SEIS---acidente-otavio-cesario-pereira-(5)

Bombeiros tiveram muita dificuldade para retirar mulher dos destroços

Um porradaço no começo da tarde ontem mobilizou corpo de bombeiros, policiais e agentes de trânsito para o salvamento de uma mulher que ficou presa nas ferragens de uma caranga no São Viça, em Itajaí. Com uma pá de bizolhudos em volta do carro retorcido, três equipes dos vermelhinhos fizeram das tripas coração para resgatar a coitada e atender os dois filhos que nada sofreram. As crianças também tavam no Uno que teria avançado a preferencial e tomado um chega pra lá de um caminhão. A cagada rolou no cruzamento das ruas Otávio Cesário Pereira e Rui Vieira, no São Vicente, conhecido ponto de acidentes no bairro.

Simone Carvalho Guimarães Calheia, 33 anos, tava no banco do passageiro quando foi atingida em cheio pelo caminhão, que vinha na preferencial. O Uno conduzido pelo marido da vítima, Roberto Sampaio Guimarães Júnior, 35, não teria respeitado a sinalização e tomou uma porrada do bruto, que jogou o possante a menos de um metro de uma casa na outra esquina. Ela teve cortes na cabeça e suspeita de fratura na bacia, enquanto as crianças, Carine Calheia Guimarães, 10, e Gabriel Calheia dos Santos, 9, também cortaram a cachola com os vidros que estouraram.

Por volta das 13h, Rangel Santos, 30, fazia o caminho que percorre há quatro anos com o caminhão, placa MGC 2751 (Itajaí), rumo ao serviço, que também fica no São Viça. Ele contou ao DIARINHO que sempre toma cuidado naquele cruzamento, mas dessa vez não pôde fazer nada. A caranga, placa DER 6218 (Itajaí), avançou a preferencial quando rolou o porradaço. Quando Rangel pensou em frear era tarde demais, ele acertou a porta do passageiro do Uno e jogou o carro contra a esquina.

O impacto do acidente chamou a atenção da vizinhança e dos bizolhudos de plantão, que assim que ouviram o batidão foram se amontoando em volta do Uno retorcido. Hélio Felício Machado, dono de uma empresa de distribuição de gás e água do bairro, estava no local na hora do acidente e foi um dos primeiros a procurar socorro. Ele reclama que somente 25 minutos depois os milicos e os bombeiros apareceram.

O Codetran e a PM organizaram o trânsito e isolavam a área do acidente, para que os vermelhinhos trabalhassem na operação de salvamento. Eles tiveram que alargar a lataria para depois retirar Simone. Ela tinha um corte profundo na testa, causado pelo vidro lateral, além de suspeita de fratura na bacia.

Apesar da dificuldade em retirar a vítima das ferragens, a mulher foi levada para hospital da cidade, onde recebeu atendimento e não corre risco de morte. As crianças também foram levadas pelos bombeiros, ambas com cortes na cabeça. Os dois motoras não se machucaram.

gora para a dona justa, que decidirá pela concessão ou não da liberdade provisória.

  •  

Deixe uma Resposta