• Postado por Tiago

Pelo menos 60 mil usuários do transporte urbano da Grande Floripa ficaram a pé por quase três horas e meia ontem. Motoristas e cobradores da empresa Estrela, que cumpre rota na região continental da capital e também em São José, protestaram contra a demissão de um colega de trabalho e contra as multas de trânsito que tão sendo descontadas do bolso da peãozada.

A galera só voltou ao batente após determinação judicial, que obrigou a manutenção mínima de veículos circulando. A partir das 8h30, os 120 busos da empresa começaram a sair da garagem em Capoeiras. “Foi demitida uma pessoa que tem uma liderança, que representa seus colegas de trabalho. O Éderson Borba é conselheiro fiscal do sindicato”, conta Ricardo Freitas, assessor do sindicato dos Trabalhadores. Apesar da turma ter pegado no batente de novo, Freitas afirma que novas demissões não tão descartadas.

Indignação

A polícia Militar foi acionada pra tentar liberar os motoras que queriam sair da garagem da empresa, mas não precisou usar da força. Até porque, pouco antes das 8h, o advogado da empresa, Sérgio Borini deu as caras por lá com uma liminar da justiça que mandava os manifestantes liberarem a passagem de quem queria trabalhar.

Nas ruas, o povo tava cabreiro com a mobilização. Mas indignado mesmo ficou o vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, João Batista Nunes. “Vamos tentar uma forma de combater esse tipo de situação. É inadimissível, injustificável que o povo fique refém de impasses trabalhistas”, cuspiu.

  •  

Deixe uma Resposta