• Postado por Tiago

No meio de todas estas obras tão os moradores e trabalhadores de Itajaí. O vendedor Leandro Paludo, 47, trabalha numa loja na Osvaldo Reis – também em meia-pista por causa de obras do Semasa – e diz que o trampo dos barnabés atrapalha, mas a maior preocupação fica mesmo por conta do recapeamento da pista que, segundo ele, tá muito ruim e teria de ser feito novamente.

O engenheiro Marcelo Bastos, 34, estourou um pneu do carro na noite de domingo, na subida do morro Cortado, no mesmo trecho em obras da Osvaldo Reis. Mas a cagada não foi culpa dele e sim da empreiteira responsável pelos serviços no local a serviço da Semasa, a Empresa Industrial Técnica (EIT). A empresa teria deixado tudo largado no final de semana. “Não tem sinalização ali, nem nada”, bufou o cara, que saiu no maior preju. Com José Luiz dos Santos que, por coincidência, é amigo de Marcelo, aconteceu ainda pior: ele furou dois pneus do carro porque também não viu o asfalto aberto no mesmo local.

Segundo o Semasa, quando o trabalho do dia é concluído, a empresa sempre sinaliza o local que tá arrumando. “Ali podem ter ocorrido várias hipóteses. Desde alguém mal-intencionado tirar a sinalização, até um vento forte, uma chuva”, disse o assessor da autarquia, Murilo José. A pessoa prejudicada deve tirar foto do preju, registrar um boletim de ocorrência e procurar o atendimento do Semasa, na rua Heitor Liberato, bairro São João, das 7h às 19 horas.

O Semasa jura que estaria fazendo o recapeamento assim que os buracos forem fechados. Sobre a falta de qualidade das ruas depois que os peões vão embora, o assessor afirmou que primeiro eles colocam uma camada fina de asfalto e depois de uns 15 dias – quando a nova tubulação já assentou – colocam o novo asfalto definitivo.

  •  

Deixe uma Resposta