• Postado por Tiago

Droga e arma vão passar pela pela perícia da polícia civil

A puliça militar botou as mãos num traficante que trampava como mototaxista nas horas vagas, ontem à tarde. O cara tava circulando pelas ruas de Camboriú com um berro calibre 38 na cintura. Com ele foram encontrados nada menos que 600 gramas de crack, quatro buchinhas de cocaína e mais de 500 pilas em dindim miúdo. Esse foi o terceiro mototaxista preso na capital da pedra por estar envolvido com o tráfico de porcarias nas últimas semanas.

Mario Antunes, 25 anos, caiu nas garras dos milicos quando dirigia sua cabrita pela rua Monte Nevada, no bairro Monte Alegre. O cara foi parado numa abordagem de rotina e levou uma geral. Debaixo de sua camiseta, grudadinho na cintura, ele tinha um trezoitão carregado com quatro balas.

Os meganhas lascaram o teje preso, e como desconfiaram que ele pudesse estar envolvido em outras tretas, o convenceram a deixar que dessem um bizú em sua baia, que fica na rua Tajuba, no bairro Taboleiro. Os fardados reviraram toda a casa do traste e acharam quatro buchinhas de cocaína e três pacotes recheados com pedrinha do capeta numa prateleira, atrás das roupitchas do Mário.

Num dos pacotes tava uma pedra grande, que ainda seria repartida pra vender. O resto já tava em pedaços, pronto pra abastecer os tansos chegados numa porcaria. A droga tá avaliada em R$ 1,2 mil. Com o mequetrefe também foram achados mais de R$ 500 em dinheiro miúdo, que a puliça acredita que ele tenha ganhado com o tráfico.

Mário foi levado pra depê da terra do mármore, acusado de tráfico de porcarias e de porte ilegal de arma. Ele admitiu que tava envolvido com o que não devia e disse que tava com o revólver na cinta porque iria dar um susto em uns desafetos.

Com essa prisão, já foram três os mototaxistas que acabaram engaiolados em Cambu nas últimas semanas, por andarem metidos com porcarias. O delegado Fábio Osório diz que os traficantes acabam usando os caras pra fazer o levaetraz da droga. ?Não é de hoje que isso acontece. Alguns mototaxistas fazem esse trabalho porque não gera desconfiança, já que é rotina deles estarem em vários lugares. Não levanta tanta suspeita?, comentou. Mas o dotô avisa que a puliça tem intensificado as bizolhadas pra cima da galera que trampa acelerando as cabritas pela city.

  •  

Deixe uma Resposta