• Postado por Tiago

GERAL-2-ABRE-g---transito-navega

Trânsito tá virado num alho

Que os dengo-dengos curtem pacas a festa de Nossa Senhora dos Navegantes, isso ninguém duvida. O problema são os transtornos causados pelo festerê. A mudança de trânsito nas avenidas João Sacavém e Santos Dumont atrapalham tanto comerciantes como os taxistas, e principalmente os turistas, que não sabem como fazer pra chegar até o ferribote. Pra piorar, não tem nenhum guardinha da Navetran no local orientando a galera.

Como a Santos Dumont, onde está localizada a igreja matriz, tá tomada pelo camelódromo da festa, a via foi transformada em mão única, sentido praça/Portonave. Ou seja, quem passa pela avenida Anibal Gaya, sentido centro, se depara com uma placa de impedimento pra seguir até o ferribote. É preciso seguir pela rua Manoel Couto Sênior e pegar várias quebradas até chegar à avenida Juvenal Mafra e, aí sim, pegar a João Sacavem novamente pra seguir pro ferri.

Quem vem da rua João Emílio, que é a da prefa, ou do próprio ferribote, também não pode mais fazer o contorno pela pracinha da João Sacavém e ir pra avenida Santos Dumont. O local foi barrado por causa do parque de diversões e virou ponto pros taxistas.

Reclames

Os taxistas são os que mais reclamam da mudança. Eles precisaram mudar o ponto de lugar, sendo que na área de estacionamento disponibilizada não cabem os 12 táxis que trampam no local. ?Além de que não estamos no nosso ponto e precisamos sair correndo pra atender o telefone?, manda Victor do Nascimento, 28 anos. ?São 11 dias de festa, a gente até entende, mas são 11 dias de sufoco?, reclama Marta Rocha, 56.

O taxista Antonio Carlos Ribeiro, 53, ainda resmunga que não tem nenhum guardinha da Navetran nos pontos de trânsito modificado. ?O nosso ponto de táxi virou ponto de informações?, ironiza.

E não é somente ele que detona a fala de fiscalização. Um comerciante de uma loja de tintas, que preferiu não se identificar, afirma que o pessoal para na sua loja pra pedir informações. Ronaldo Vicente, 40, que tem um terreno pra estacionamento, apesar de lucrar na época da festa, também reclama. ?Isso é um absurdo. Um turista que chega na cidade não sabe se virar, porque não tem ninguém aqui pra dar informação?.

O que diz a prefa?

O secretário da Segurança de Navega e responsável pelo Navetran, Joab Bezerra Duarte Filho, afirma que, infelizmente, estas mudanças no trânsito precisam rolar. ?São 114 anos de tradição. Esse transtorno na época da festa e no Carnaval é sempre ruim, mas o pessoal entende?, acredita.

Já sobre a falta de agentes de trânsito, Joab admitiu o erro e disse que o município não tem guardas suficientes pra atuarem na city. Mas garantiu que os barnabés que trampam na festa podem dar informações e que, a partir das 20h, quando rola a novena e os shows, os guardinhas sempre estão presentes. ?Nem sempre tem um agente público na rua para pedir informações. É normal pedir ajuda em comércios e pontos de táxis?, afirma.

  •  

Deixe uma Resposta