• Postado por Tiago

A doida tava viajando com a porcariada escondida num fundo falso em sua caranga

INTERNA-POLÍCIA-SEIS-p--cocaína-na-palhoça-(1)

Porcaria tava escondida em fundo falso da caranga da trafica

Homis da polícia Federal (PF) grampearam uma mulé que transportava 6,7 quilos de cocaína mocosados em sua caranga. A porcariada toda tava disfarçada atrás de um fundo falso, colocado na porta do possante. Os federas acreditam que a droga seria distribuída entre os traficas da grande Floripa.

Na quarta-feira, a PF recebeu a informação de que tinha uma doida vindo do Rio Grande do Sul pra Santa & Bela, a bordo de um Honda Civic de cor chumbo, recheado de pó. O carango, com placa de São Paulo, passaria durante a tarde pela BR-101.

Os federas resolveram ficar de butuca no posto de pedágio de Palhoça, à espera do possante. Não demorou muito pro carrão pintar por ali, por volta das 14h. Os policiais viram que era a chance de pegar a traficante no pulo e passaram a seguí-la.

Ela rodou três quilômetros pra frente do pedágio e parou num posto de gasolina que fica às margens da BR, já no bairro Fazenda do Max, em São José. A puliçada, que tava doida pra botar a mão na porcariada, aproveitou pra dar o atraque.

Dentro do carango tava a motora Fernanda Sander Farias, 30 anos, que é de Araçatuba (SP), uma guria de 21 anos e uma dimenor de 15, que são do Mato Grosso do Sul. As três tiveram que tirar a busanfa do possante enquanto os federas botaram pra trampar a cadelinha Luna, que é especialista em achar drogas com seu focinho poderoso.

A cachorrinha deu uma boa cafungada no carro e indicou pros policiais que a cocaína tava escondida nas portas traseiras do carro. Bastou os federas abrirem o forro da porta pra encontrarem a branquinha.

Fernanda e as duas acompanhantes foram levadas pra sede da PF na capital manezinha. Durante um plá com o delegado Guilherme Mattos de Oliveira, que comandou o atraque, as duas gurias do Mato Grosso provaram que não sabiam que tavam carregando a porcariada e acabaram liberadas. Fernanda assumiu a bronca e ganhou o teje presa.

A caminho de Maringá

Apesar dos federas acreditarem que a cocaína seria entregue em Floripa, a trafica disse que levaria a droga até Maringá, no Paraná. Como o mais comum é que as porcarias que vão pro norte paranaense entrem no Brasil pelo Paraguai, a história da mulé vai ser investigada.

A PF também quer saber de quem ela comprou a cocaína e pra quem iria entregar. Ontem à tarde, Fernanda, que ainda não tinha passagem pela puliça, já tinha ganhado uma vaguinha no cadeião da muierada, na capital catarina.

  •  

Deixe uma Resposta