• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-SEIS---ABRE-p--tentativa-de-assalto-defronte-ao-banco-do-brasil-(1)

Balas ficaram cravadas na lataria dos carros que tavam estacionados

Uma mulher foi atingida na perna por uma bala perdida durante uma tentativa de assalto no centro de Itajaí, ontem à tarde. A bala, que atingiu a perna da coitada, partiu da arma de dois malacos. Os bandidos, que não conseguiram tomar o malote de uma funcionária da loja Salfer, que tava indo à agência do Banco do Brasil, bem no centro de Itajaí, fugiram depois do disparo.

A ação foi impedida por um policial militar aposentado que desconfiou dos malacos. Ao serem supreendidos, os bandidos saíram atirando pra todos os lados. A mulher que levou a bala perdida não tinha nada a ver com a história. Apesar da azeitonada, a muié passa bem.

A vítima do assalto não entregou a grana pra um dos bandidos, chamando a atenção de um policial aposentado que tava na entrada do banco. Ele foi tirar satisfação achando que era um trombadinha e assustou o vagabundo, que saiu correndo e metendo chumbo na direção do povão, em frente ao banco.

No meio da fuga, o paspalho ainda caiu no chão e quebrou parte da arma. Depois de tantas trapalhadas, o safado conseguiu pular na garupa da motoca do parceiro, placa MHE 2112. Os dois simandaram e não foram alcançados.

A cena de filme pastelão rolou por volta das 15h30, em frente a uma das agências mais movimentados do centro de Itajaí, e a menos de 100 metrros do batalhão da PM. Além de escolherem o horário em que o banco tava cheio e o trânsito entupido no centro, os tansos nem se tocaram que a poucos metros do local do assalto fica o batalhão da polícia militar, na rua Felipe Schmidt.

A comerciária e uma companheira do trampo saíram da loja de eletrodomésticos Salfer, na rua Hercílio Luz, com o malote recheado de grana pra depositar no Banco do Brasil.

A polícia acredita que os bandidos já sabiam que o dinheiro seria levado naquele horário, e um dos trastes deve ter seguido a coitada.

Chegando em frente ao Banco do Brasil, o mequetrefe resolveu agir. Ele sacou o trabuco e mandou a vítima entregar o malote. A muié segurou o malote e o bandido se atracou no braço da coitada. Os gritos do cara assustaram o companheiro de crime, que correu em direção ao outro lado da rua atirando em direção à galera que tava perto do banco.

  •  

Deixe uma Resposta