• Postado por Tiago

A construção da agência do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) em Navegantes tá ficando mais distante a cada dia que passa. O gerente regional do INSS, Álvaro Anderson, conseguiu estender o prazo para a entrega do terreno até quarta-feira da semana que vem. O entrave é que o setor de engenharia do INSS reprovou o novo terreno que o município tinha oferecido para a obra. A prefa não tem mais terrenos que se enquadram nas exigências do INSS. Álvaro Anderson conseguiu que os engenheiros reavaliem a decisão e ontem seguiu para Florianópolis para conversar com os técnicos. Caso o terreno volte a ser reprovado, Navega perde a agência do INSS para Taió.

No início do ano, o INSS anunciou as citys escolhidas em todo o Brasil para receber novas agências. As prefeituras só precisariam doar o terreno e o INSS arca com o resto. Na região, Penha também foi escolhida e só falta transferir no papéli o pedaço de terra ao INSS.

Em Navegantes, a pendenga se agrava porque o prazo estabelecido pelo INSS para a entrega do terreno era dia 31 de maio. O gerente regional do instituto fez das tripas coração e conseguiu estender o prazo para Navegantes até o dia 15 deste mês. “A gente conseguiu dar uma segurada, mas já tá extrapolando. Esta é a última oportunidade”, afirma Álvaro Anderson. O gerente explica que conseguiu estender o prazo porque Navega é um ponto estratégico de atendimento para desafogar a agência de Itajaí.

No mês passado, já totalmente fora do prazo, a prefa dengo-dengo chamou o INSS para avaliar um terreno na Meia Praia, próximo ao aeroporto. Os técnicos não aceitaram o terreno porque fica mais afastado do centro, num local sem muito movimento e a rua nem é pavimentada. Antes disso, o INSS aceitou outro terreno do município que ficava no centro. Tava tudo pronto para a transferência quando a prefa descobriu que o pedaço de terra era, na verdade, de uma associação de trabalhadores.

Álvaro Anderson diz que conversou com os abobrões da prefeitura e soube a prefa não tem outro terreno para doar. Ontem, ele seguiu para Florianópolis para conversar com os chefões do INSS no estado. Álvaro explica que vai tentar convencer os engenheiros de que a city precisa de uma agência, mas adianta que será difícil reverter a situação, pois os bagrões não abrem mão dos seus procedimentos técnicos. Já tá marcada para o início da semana que vem uma nova vistoria no local. A primeira cidade na lista de espera por uma agência do INSS é Taió, que se adiantou e já tem um terreno reservado para os engenheiros analisarem, caso os dengo-dengos percam a chance.

  •  

Deixe uma Resposta