• Postado por Tiago

INTERNA-ABRE-PAG-14---18-NecoPadaratz3-danielSmorigo

Surfista de Balneário Camboriú comemorou o título com a cariocada

Comprovando estar totalmente recuperado da contusão que o afastou das competições por seis meses, o catarinense Neco Padaratz, de 32 anos, foi o grande campeão do Coca-Cola Saquarema Pro 2009. Domingo passado, o surfista de Balneário Camboriú acabou com o vice-campeonato na praia Mole, em Florianópolis, mas desta vez não deixou o título escapar. As duas etapas do mundial WQS foram de nível seis estrelas e a vitória nesta última valeu pra Neco um prêmio de 20 mil dólares e 2500 pontos no ranking. O catarina subiu de 111 pra 54 na classificação geral.

Competindo no Maracanã do surfe, em Saquarema, no Rio de Janeiro, Neco teve outro brazuca como adversário na decisão. O confronto foi contra o paulista Hizunomê Bettero, de 23 anos. A única coisa de se lamentar na final foi o vento sudoeste que cagou com o mar e poucas ondas foram surfadas. Mesmo assim, durante toda a semana a praia de Itaúna mostrou a potência e a perfeição das suas esquerdas pros 144 surfistas de 16 países que estiveram lá brigando pelo título.

?Saquarema é demais! Tem gente lá fora que fala que no Brasil não tem onda e só fala isso quem não conhece Saquarema?, enalteceu Neco, que completou: ?Estou muito feliz e emocionado. A dificuldade que vivi nos últimos tempos só eu e minha mulher sabemos. Eu sabia que minha hora ia chegar e chegou, mas ainda temos um longo caminho pela frente para concretizar todos os nossos sonhos?.

O catarinense usou toda sua experiência de mais de 10 anos defendendo o Brasil na elite do surfe mundial pra derrotar seus adversários nas difíceis condições do mar no sábado. Nas três baterias que disputou no último dia, ele conseguiu começar com uma boa onda e depois foi pegando as que entravam pra ir aumentando a vantagem.

Foi assim também contra Hizunomê Bettero, quando abriu a final numa direita curta pra receber nota 6,17. O paulista iniciou com uma onda fraca, mas depois tirou a maior nota da final, 6,77, numa esquerda um pouco mais longa. Logo Neco pegou uma esquerda que fecha rápido, mas tirou nota 4,67, que acabou decidindo o título. O vento sudoeste apertou, as ondas sumiram e o máximo que Hizunomê conseguiu foi um 2,83, com o placar sendo encerrado em 10,84 a 9,40 pontos pra Neco.

Duelo catarina

Antes de chegar à decisão, Neco teve que se superar num duelo barriga-verde. Ele enfrentou na semifinal Willian Cardoso, também de Balneário Camboriú, e venceu por 15,50 a 13,80 pontos. ?O mar ficou difícil, maré muito cheia, pouca onda, o vento sudoeste já entrou para complicar mais ainda. Foi uma pena, mas estou amarradão, pois é meu melhor resultado no ano e o Neco é um guerreiro, está aí provando pra todo mundo?, disse Willian.

  •  

Deixe uma Resposta