• Postado por Tiago

Na manhã de ontem, os abobrões e um representante do corpo de bombeiros escorregaram muito na lama pra subir os 60 metros do morro até chegar às pedras. Na vistoria, descobriram que são três rochas que tão por um fio e pesam em torno de 80 toneladas. Até quarta-feira, os técnicos tinham encontrado apenas uma pedra de cerca de 20 toneladas na área de risco.

Além das pedras, o que preocupa os barnabés é a possibilidade do lamaçal deslizar com a chuva. “Há uma grande quantidade de terra que já está mexida com a chuva. A situação é grave. O barro já desceu e pode parar lá embaixo de uma hora pra outra”, explicou o secretário de inclusão social, Luiz Maraschin. Com a saída de todas as famílias da área de risco, os peões vão meter a mão na massa.

As pedras devem ser medidas ainda hoje por um engenheiro e um geólogo, pra se descobrir o tamanho exato. A intenção é conter a lamaceira e implodir as rochas. O dono da Explotec, empresa contratada pela prefa pra fazer o serviço, Zileu da Silva, afirma que consegue as autorizações pra resolver o perrengue num dia. Pra explosão, o pessoal do meio ambiente, exército, Crea e até o Papa têm que dar o sinal positivo.

No entanto, os abobrões não falam em datas. O secretário de segurança, Nilson Probst, explica que a preocupação no momento é abrigar as famílias e mapear as áreas de risco. O trampo pesado deve rolar na semana que vem. “Queremos terminar o quanto antes, pois essa situação apresenta risco de vida”, finaliza.

  •  

Deixe uma Resposta