• Postado por Tiago

INTERNA_14_abre_ze-brodinho-na-obra-do-terminal-da-fazenda---foto-felipe-VT-02

Dona Maurina fez o reclamo pro Zé Brodinho

O novo integrante da equipe DIARINHO mostrou que não está pra brincadeira. Logo no primeiro dia de trampo, Zé Brodinho conheceu os transtornos enfrentados por uma moradora de Itajaí por conta da obra inacabada do terminal de ônibus do bairro Fazenda. E o Zé Brodinho foi além: descobriu que a obra abandonada pela prefa não tem data nem previsão pra recomeçar.

Zé Brodinho visitou o que restou do terminal de busão na tarde de ontem. Foi recebido por dona Maurina Canuto da Silva, 59 anos. A dona de casa mora bem em frente ao local onde será construído o terminal de ônibus e não sabe mais o que é viver em paz. ?Isso aqui virou depósito de lixo. Até cachorro morto jogam aqui?, reclama.

A maneira com que dona Maurina leva o dia-a-dia pode ser resumida com uma palavra: improviso. Na porta de entrada da baia, um tampão evita que a água da chuva invada a sala de estar. Os móveis não estão mais no lugar. Quase tudo foi levantado, com medo de mais inundações. ?Qualquer chuvinha enche tudo. Cadê as galerias que iam fazer aqui? A sujeira dessa construção só entupiu todas as bocas de lobo?, lasca.

De mãos dadas com a neta Ana Luíza, três anos, dona Maurina mostrou ao Zé Brodinho o caos em que está o terreno do terminal de ônibus. Além de tubos, pedaços de madeira e muita poeira, buracos enormes sem proteção alguma ilustram o cenário de horror. ?Se era pra ficar esse abandono, porque demoliram o antigo terminal??, se pergunta a peixeira.

O retrato da indignação, dona Maurina fez questão de bater com Zé Brodinho. Tirou uma foto ao lado da placa enganosa que diz: ?Atenção, estamos em obras?.

Sem previsão

Depois de conhecer de perto o perrengue, Zé Brodinho fez aquela pressão nos bagrões da prefa e descobriu o que dona Maurina não queria ouvir: a obra não tem nem previsão de começar.

Paulo Praun Cunha Neto, secretário municipal de urbanismo, diz que o problema está no pedido de anulação, por parte do Tribunal de Contas de Santa Catarina, do contrato com a empresa Coletivo Itajaí. ?O projeto viário e das galerias está pronto pra ser executado, mas não podemos fazer nada antes que o caso seja resolvido com a justiça?, explica, completando: ?Se uma nova empresa assumir o transporte público, talvez tenhamos que fazer outro projeto?.

João Paulo Tavares Bastos Gama, procurador do município, informou ao Zé Brodinho que como a Coletivo entrou com recurso pra tentar mudar a decisão do tribunal, a solução para o caso vai demorar ainda mais. ?A gente está acompanhando o processo e fazendo de tudo pra que ele ganhe agilidade?, garantiu.

  •  

Deixe uma Resposta