• Postado por Tiago

CAPA-BASE---g---audiencia-na-camara

Empresários e abobrões debateram o edital

Depois de praticamente dois meses, a prefa dengo-dengo realizou na tarde de ontem mais uma audiência pública pra debater e lançar ? dinovo ? o edital de licitação pra contratação de uma nova empresa de transporte público, que vai prestar o serviço no lugar da Rainha. O primeiro edital, que foi lançado no fim do ano, não agradou às empresas e a prefa preferiu acatar alguns pedinchos.

De acordo com o procurador geral do município, Fabiano Zucco, algumas empresas tiveram dificuldade de entender alguns itens do papéli, por isso a necessidade de um novo encontro pra colocar todos os pingos nos is. ?A gente preferiu fazer isso de uma forma bem transparente. Alguns pedidos achamos por bem acatar, mas outros não?, mandou.

Entre as mudanças, a que mais chamou a atenção foi a forma do pagamento do serviço. Antes, a empresa vencedora poderia pagar em parcelas e agora o serviço terá que ser pago no ato pra prefa. O valor mínimo da licitação é de R$ 500 mil. ?Gostaríamos que chegasse até uns R$ 5 milhões?, brincou o secretário de Administração, Jonas de Souza. A empresa vencedora será a que apresentar a melhor proposta.

Empresas

Seis empresas participaram da reunião de ontem: a própria Viação Rainha; a Viação Nossa Senhora dos Navegantes, que é uma razão social da Rainha; Viação Verdes Mares de Gaspar; Viação Praiana; Montana Turismo e Viação Pilar, do Paraná. Elas terão até segunda-feira pra tirar todas as dúvidas e sugerir mudanças. Na terça-feira, o edital oficial será lançado.

Desconfiança

Os vereadores da oposição marcaram presença na audiência. Fredolino Alfredo Bento (PMDB), Maria José Flor (PMDB) e Marquinhos da Silva (PT) discutiram a necessidade de construção de novos pontos de ônibus. ?Mesmo com a construção de 20 pontos e a reforma de outros 16, como diz no edital, ainda não é suficiente pra demanda?, acredita Maria.

Já Lino questionou a gratuidade da passagem, já que o edital permite que a nova empresa pode eliminar a mamata. O parlamentar tava preocupado, por exemplo, se a partir de agora os professores da rede municipal teriam que começar a pagar pra andar de busão. O procurador do município tratou de acalmar o parlamentar. ?As gratuidades que já existem por lei não vão ser extintas?, prometeu Zucco.

  •  

Deixe uma Resposta