• Postado por Tiago

BAIXO-ESPECIAL---s---semana-guga-kuerten---guga-e-larri-passos-foto-rubens-flores-10jun09-(2)

Guga e Larri acreditam que o tênis brazuca ainda tem muito o que evoluir pra figurar entre as principais potências mundiais

O tricampeão de Roland Garros acha impossível precisar quando outro brasileiro vencerá novamente no saibro francês, até mesmo por causa de como o tênis vem sendo tratado no Brasil. ?Acredito que ter um jogador entre os 50 do mundo é um objetivo real e o Bellucci (Thomaz, de 21 anos, atual número 134 do ranking mundial) é um que tem potencial para estar lá. Mas uma coisa é você chegar aos 50 e outra é se manter 10 anos. Aí você começa a ter uma representatividade dentro do país como ídolo e com o desenvolvimento do tênis?, disse.

O manezinho lembrou que o Brasil sempre teve vários jogadores bem ranqueados ao longo dos anos, como Carlos Kirmayr, Cássio Motta, Luiz Mattar, Jaime Oncins e Fernando Meligeni, mas hoje esta realidade mudou um pouco. ?Precisamos de um jogador que chegue lá e fique permanentemente entre os melhores 60 a 70 do mundo. Muitos têm esse potencial, mas só isso não adianta. Conta o envolvimento do cara, do treinador, da estrutura. Acho que faltam bons campeonatos juvenis, coisa que estamos tentando fazer, e também treinadores mais capazes?, lascou o campeão, que pretende seguir trabalhando pra que a era Guga não fique só na memória das pessoas, mas que seja o início de um desenvolvimento maior do tênis no Brasil.

Guga vê o seu esporte mais fraco atualmente do que quando competia. ?Acho que o tênis hoje não tem tanta qualidade quanto tinha 20 anos atrás. A gente ganhou em muitos aspectos, mas perdeu em outros que no meu entender é a pior coisa que aconteceu. A gente tá tentando trabalhar na prática o que pode funcionar, pra fazermos algo diferente?, finalizou.

Larri solta o verbo

Polêmico, o técnico Larri Passos também desceu a lenha na estrutura do tênis nacional. ?Esse intervalo bem grande foi a acomodação dos treinadores com a era Guga. Eles encheram as academias e virou um fenômeno comercial. Nestes 10 anos houve uma avalanche de jogadores e o pessoal se preocupou só com o momento. Até hoje ainda falta muita coisa e nossa confederação está falhando muito. Isso tem que ser feito a longo prazo, lógico, mas se ficar parado esperando não adianta nada?.

  •  

Deixe uma Resposta