• Postado por Tiago

Pra saber se a situação dos presos vai continuar desse jeito, o DIARINHO ouviu a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que deveria ter a Comissão de Direitos Humanos. Mas, para espanto geral, a reportagem descobriu que a comissão que deveria fiscalizar as condições a que são submetidos os presos não tá funcionando.

Na OAB foi informado que a comissão seria tocada pela dotôra Yara Querne. Só que a advogada informou que fez parte da comissão, mas que hoje ela está desativada. “A comissão de direitos humanos ficou sem efetivo”, explica Yara. Ela lembra que a comissão funcionou nos trinques até 2004, mas depois disso os advogados que faziam parte dela foram seguindo suas vidas e Yara ficou sozinha e impossibilitada de tocar a coisa. Yara disse que na gestão do advogado Wolfran Echelmeier não houve nomeação da comissão.

A dotôra confirma que conhece a situação das delegacias de Itajaí e acredita que vai continuar tudo superlotado enquanto o presídio permanecer interditado. “Os outros municípios também estão ficando lotados e alguns presídios não estão recebendo mais presos”, alertou. Yara diz que o departamento de Administração Prisional (Deap) não consegue encontrar vagas pra retirar os presos das depês e levá-los pros cadeiões.

A dotôra fala ainda que a única saída pra resolver a situação é a imprensa e a família dos presos cobrarem do estado, do Deap e da OAB uma solução. “Esse tratamento é desumano. Tem que fazer uma pressão, não é possível ficar assim”, afirma Yara.

O advogado Wolfram Echelmeiner, que ficou à frente da OAB por três anos, nega que a Ordem peixeira esteja sem a comissão. Embora garanta que a comissão exista, Wohlfran não soube informar quem a preside. O advogado informou que esta semana tava deixando o posto e que caberia à nova gestão indicar novos membros. O DIARINHO tentou ouvir o novo presidente da OAB peixeira, Ricardo Izidoro Koch, mas ele bão foi localizado.

  •  

Deixe uma Resposta