• Postado por Tiago

A prefa de Navega-City recomeça, na segunda-feira, a construção do calçadão do Gravatá, obra parada há mais de um ano. A secretaria de obras divulgou a boa notícia depois da reunião que teve com os moradores, na noite de quinta-feira, pra mostrar o novo projeto.

Com a mudança de planos, saem os blocos de cimento e entra a madeira. A altura do calçadão será reduzida pra não impedir a turma que trafega pela beira-mar de dar uma bizolhadinha nas ondas do Gravatá e nas gatinhas de biquíni que desfilam pelas areias na temporada.

Os técnicos da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí-açu (Amfri) refizeram todo o desenho da calçada. Em março do ano passado, quando rolou o embargo do Ibama, o peões já trampavam e uma carrada de blocos de cimento foi instalada.

O novo calçadão terá 1640 metros de extensão, com corrimão na lateral e acesso à praia a cada 200 metros. A obra ainda terá uma passarela (deque) e espaço pra estacionamento lateral na avenida.

Com a obra embargada, a prefa teve que montar outro projeto e conseguir novamente a liberação da grana pela Caixa Econômica Federal. O calçadão custa cerca de R$ 1 milhão e como a obra tava mais enrolada que língua de epilético em convulsão, o banco federal pegou a bufunfa de volta e mandou os abobrões de Navega-City se coçarem pra resolver o perrengue com o órgão ambiental.

O novo projeto ficou pronto no fim do ano passado, mas só foi levado ao Ibama em janeiro. Em abril, a prefa entrou com a papelada pra aprovação do governo federal. “Tivemos que pagar uma multa de R$ 50 mil pro Ibama”, chiou o prefeito Roberto Carlos de Souza (PSDB). A administração dengo-dengo desembolsou R$ 14 mil e parcelou o saldo da dívida da multa apimentada.

  •  

Deixe uma Resposta