• Postado por Tiago

A construção de uma casa num nisco de terreno do fim da rua Holanda, no bairro das Nações, em Balneário Camboriú, vai parar na dona justa. A obra, que foi denunciada por vizinhos, é considerada irregular pela fiscalização da prefa e até já foi caneteada. O curioso da história é que o dono do terreno, que é empresário da city, tem um alvará para a construção, conseguido na administração passada. A prefeitura trampa agora pra cancelar o alvará.

Depois da denúncia dos moradores e do grampo dado por fiscais do departamento de contenção da ocupação irregular e degradação ambiental (Cuida), o diretor de análise de projetos da secretaria de planejamento, Claudinei Loos, resolveu cortar o mal pela raiz. Ele disse ao DIARINHO que busca formas de embargar a obra e cancelar de vez o alvará que o proprietário do terreno tem. “O alvará está sendo cancelado e ele [o dono do terreno] está entrando com um processo na justiça. Agora vamos ter que resolver via judicial”, disse.

A autorização pra construção no local foi liberada no finalzinho do ano passado pela administração anterior.

Os atuais bagrões da prefeitura não concordam com a construção de uma casa de dois andares num terreninho de 98 metros quadrados, entre o muro de conteção do binário e um prediozinho de apartamentos. “A administração passada fez o acordo sem levar em conta o traçado do binário”, acusa o secretário de planejamento, Claudir Maciel.

Relembre

O terreno pertence ao empresário Nilésio José Leal. A obra polêmica começou há um mês. Com alvará que conseguiu no ano passado, Nilésio pretende construir uma casa de dois andares no nisco de terreno que fica no fim da rua Holanda, entre o edifício dona Odília e o paredão do binário. Moradores do prédio ao lado trataram de meter a boca no mundo com medo que a construção tape algumas janelas e faça sombra pro edifício.

Nilésio se defende dizendo que a administração passada prometeu a ele que a construção no local poderia ser feita se ele aguardasse o término da obra do binário no local. Além disso, afirma que uns dois metros do seu terreno foi comido por moradores do edifício ao lado, que aproveitaram a área pra ampliar seus apartamentos e, assim, impossibilitaram a passagem de ar por lá.

Pra piorar, no ano passado o dono do terreno já teve um preju danado com a prefa. Tinha uma casa no terreno, que foi danificada durante a construção do binário. Ele foi indenizado e ganhou a promessa que poderia construir dinovo lá.

  •  

Deixe uma Resposta