• Postado por Tiago

As obras de reconstrução dos dois berços de atracação do porto de Itajaí, destruídos na enchente de novembro, que vinham lerdas e a passo de tartaruga, agora estão definitivamente paradas e sem data pra recomeçar. Em audiência realizada em Brasília na terça-feira, o ministro da secretaria especial de portos (SEP), Pedro Brito, anunciou que os trabalhos devem ser suspensos por causa de uma alteração que teve que ser feita no projeto conforme já havia adiantado ao DIARINHO Paulo Muller, engenheiro chefe do consórcio TSCC, responsável pela reconstrução do cais.

A alteração do projeto tinha sido feita em abril, quando foi constatado um problema de fundação para as estruturas que darão sustentação ao cais. As estacas precisam ser mais profundas, para suportar a carga e as correntezas do rio, passando de 35 para 50 metros. Outra alteração será na plataforma de sustentação, que terá que passar de 18 para 30 metros de comprimento.

Como a diferença de valores com essa alteração, segundo estimativa da SEP, será de cerca de 50% a mais do que havia previsto o consórcio – em torno de 85 milhões de reales – uma nova licitação pode ser exigida pelo Tribunal de Contas da União (TCU), o que anula o atual contrato com as empresas Triunfo, Serveng e Constremac.

Caso isso se confirme, as obras de reconstrução podem acabar somente no ano que vem, já que o processo licitatório pode demorar mais seis meses para rolar. A salvação pode ocorrer caso os ministros do TCU votem pela manutenção do pedido de emergência das obras e o órgão autorize o governo federal a fazer outra licitação e contratar uma empresa em caráter emergencial.

Pessoas que estavam na audiência com o ministro da secretaria dos portos afirmaram que o prefeito Jandir Bellini (PP) ficou tão triste e decepcionado com a notícia que teria aberto o berreiro e chorado feito criança.

  •  

Deixe uma Resposta