• Postado por Tiago

Até agora, apenas quatro tucanos se manifestaram oficialmente sobre o caso envolvendo Leonel Pavan. Os primeiros a mostrar sua solidariedade com o companheiro de sigla foram os deputados estaduais licenciados Dado Cherem e Gilmar Knaesel, que ocupam secretarias dentro do governo Luiz Henrique (PMDB). Os dois divulgaram notas oficiais, no dia 16 deste mês, um dia após a denúncia do MP contra o bagrão e mais seis.

Um dia depois, foi a vez do vereador de Balneário Camboriú, Dão Koeddermam, dar un tapinha no ombro de Pavan. “Conheço Pavan há 25 anos, desde que militávamos juntos no PDT, e tenho certeza de sua inocência. Os fatos irão provar que estas acusações são infundadas e jamais irão abalar sua caminhada política rumo ao governo do Estado”, disse o tucano, em nota.

O último foi Paulo Bauer, deputado federal e secretário de Educação, que recentemente foi acusado de manter um funcionário fantasma no gabinete de seu suplente, Acélio Casagrande (PMDB). Bauer diz que a imprensa faz ‘julgamentos apressados’, e que confia na inocência de Pavan.

  •  

Deixe uma Resposta