• Postado por Tiago

abre-p1

Encontro vai até sexta-feira em Itajaí e reúne sabichões da área do patrimônio histórico

Começa hoje, às 8h30, no auditório do curso de Farmácia, bloco 17 da Univali, o 11º Cidade Revelada, encontro peixeiro de sabichões do patrimônio histórico. O tema deste ano é ?Preservando Identidades Culturais?, e serão apresentados trabalhos nas áreas de arquitetura, história, arqueologia, etnografia e sociologia em palestras e conferências na Univali. Já as oficinas vão rolar no Museu Histórico, no centro, e no Museu Etno-Arqueológico, na Itaipava, que ainda não foi inaugurado oficialmente.

Uma das oficinas mais disputadas ? ?Restauro em pintura mural?, será dada pela polonesa Ewa Hamsa Jureczko-Weber, que vive em Itajaí há cinco anos. O trabalho, que será feito em conjunto com estudantes, vai finalizar o projeto de restauração da antiga estação ferroviária, que deixou de receber passageiros em 1971 e foi usado pela secretaria de Agricultura de 1981 a 2003. O projeto, orçado inicalmente em R$ 200 mil, chegou a R$ 500 mil e levou cinco anos pra obra ficar pronta. Outras oficinas que vão rolar por lá são ?Acervos arqueológicos, preservação e educação? e ?História oral?.

Hoje, rolam duas conferências na Univali: ?Mecanismos de fomento para preservação do patrimônio cultural?, com o superintendente do Iphan do Paraná, José Lapastina Filho, sobre a parceria público-privada; e ?Patrimônio arqueológico e as cidades?, de Dione da Rocha Bandeira, que vai relatar sua experiência com sítios arqueológicos e sambaquis no meio de cidades.

  •  

Deixe uma Resposta