• Postado por Tiago

Pente-Fino

Presos ficaram no corredor durante a geralzona

As alas do seguro e da triagem do cadeião peixeiro passaram por uma operação pente-fino na manhã de ontem. Os policiais recolheram uma porrada de porcariada, mas drogas não foram encontradas.

A geralzona começou às 7h e durou três horas. Cerca de 30 policiais, entre carcereiros e militares, revistaram as 12 celas do seguro e da triagem do cadeião peixeiro. Nas jaulas foram apreendidos 12 aparelhos celulares, oito baterias de celular, sete espetos, seis talheres e três facas artesanais. Não foram encontradas drogas.

O diretor do presídio, Maurílio Antônio da Silva, explica que esta foi uma operação de rotina. ?O correto seria realizarmos essas operações a cada 30 dias, mas como fazia mais de 90 dias que não era feito, tava mais do que na hora?, conta.

Como a operação foi rápida, Maurílio diz que não houve manifestações ou até mesmo resistência por parte dos 515 bandidos que superlotam o cadeião, construído pra abrigar exatos 198 presos.

Se entregaram

Já no cadeião de Tijucas, os presos ficaram com medo de ganharem uma geral e resolveram silivrar da porcariada que andavam escondendo. Tudo começou quando os agentes prisionais descobriram um buraco, que tava sendo aberto pelos espertinhos que queriam siscapolir.

Os engaiolados sitocaram que iriam passar por um pente-fino, e jogaram uma renca de buchinhas recheadas de maconha pra fora das celas, nas galerias A e B. Ao todo, foram recolhidos 318 gramas de erva de capeta.

A droga foi levada pra depê, e o mandachuva do presídio registrou um boletim de ocorrência. Os donos das porcarias não foram identificados.

  •  

Deixe uma Resposta