• Postado por Tiago

A grande maioria, ao menos o disponível aqui em nossa região, se baseia naquela máxima (e conhecida): diminuir o acúmulo de líquidos e gordura nas pernas, melhorar a circulação e a qualidade do colágeno que sustenta a pele da área afetada. Vale combinações entre eles, os famosos ?pacotes?.

Drenagem linfática manual. É uma massagem suave (uma delícia) com movimentos que vão dos pés para a cintura, acompanhando o caminho dos vasos linfáticos. A retenção de líquidos e o inchaço nas pernas diminuem e, nos casos leves de celulite, o resultado é bom. É simples, eficaz, barato e muito popular. Casos moderados ou severos de celulite requerem tratamentos mais intensos, mas a drenagem não deve ser abandonada porque serve como um complemento e ajuda a manter os resultados. Vamos combinar que dá até uma diminuidinha básica no peso, é super bom para as gestantes e para o pós-operatório de plásticas e lipos.

Ultrassom. É um aparelhinho que quebra e esvazia células de gordura. A aplicação pode complementar o tratamento à base de medicamentos injetáveis.

Radiofrequência. Além de ajudar a esvaziar as células que armazenam a gordura, melhora a firmeza da pele das pernas e glúteos.

Intradermoterapia. É a injeção de medicamentos sob a pele, diretamente na área afetada pela celulite. Melhora a circulação e ajuda a quebrar e esvaziar células de gordura. Esse dói um pouco, mas o resultado é bem bacana.

Subcisão. Casos muito avançados e com grandes depressões na pele melhoram com a ruptura de fibras de colágeno que repuxam a pele para dentro. Isso é feito através da subcisão, que é um procedimento cirúrgico. Deixa hematomas e, nesse caso, é melhor você esperar o verão passar. Já existe também a aplicação de laser para atenuar essas manchas.

Manthus. Equipamento computadorizado que emite ultra-som e correntes elétricas na região a ser tratada para auxiliar a quebra de gordura e melhorar a circulação da região.

  •  

Deixe uma Resposta