• Postado por Tiago

Rachaduras, infiltrações e portas quebradas são comuns

Um mês depois da denúncia do DIARINHO que o centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Balneário Camboriú está caindo aos pedaços, leitor procurou o jornal pra dizer que o local parece que foi abandonado pelas otoridades. Goteiras em praticamente todas as salas, rachaduras no teto, infiltrações na maioria das paredes e até portas cortadas pela metade são vistos por quem vai até aquele centro de saúde.

A estrutura da casa da Quinta avenida não vê uma garibada desde antes da enchente do ano passado. Funcionários trabalham expostos ao mofo que cobre o teto e que pintou ali por conta da umidade. Como o telhado está detonado, quando chove as goteiras transformam as salas em chuveiros e os funcionários têm que sivirar com baldes pra evitar que o posto fique alagado. A maioria das portas esta quebradas e podres e parte do forro chegou a despencar dentro de um dos consultórios médicos.

A situação precária chamou a atenção da comerciante S.M.A., 32 anos. Ela é de Maringá/PR, e está passando uns dias em Balneário Camboriú. S. socorreu uma senhora que tem problemas mentais e lhe deu uma carona até o centro. Ao entrar no Caps, assustou-se. ?Fiquei horrorizada com o descaso que é aquilo ali. Não pelo atendimento, mas pela falta de respeito?, diz, criticando: ?A pessoa vai pro CAPS porque já está no seu extremo e ainda chega lá e encontra aquele abandono?.

Na edição de três de outubro o DIARINHO denunciou o descaso das otoridades em relação ao Caps. Na ocasião, a diretora do departamento de especialidades da secretaria de Saúde, Sabrina dos Santos Soares, afirmou que a reforma do local já tava licitada, mas não conseguia alugar uma casa no município que comportasse todos os consultórios e estrutura do centro de Atenção Psicossocial .

Vai se mudar

O calvário dos funcionários e pacientes do Caps deverá terminar em uma semana. Valdeci Bernardo Júnior, diretor do departamento técnico administrativo da secretaria de Saúde, informou através da assessoria de imprensa do órgão que já está fechando contrato de aluguel de uma casa para abrir o centro.

O local fica na rua Dom Henrique, na Vila Real, e, garante Valdeci, tem estrutura pra comportar todos os consultórios e outros setores do postinho. A mudança tá prometida pra rolar em uma semana.

Ainda não está decidido se o Caps vai ficar na nova baiuca somente enquanto o antigo posto da Quinta avenida estiver em reforma ou se vai mudar de vez pro novo local. A decisão só deverá ser divulgada ano que vem, quando rolar um novo planejamento dos abobrões da Saúde.

INTERNA_12_abre-direita_caps---foto-Felipe-VT-00

Nenhum dotô quer assumir a bronca do Caps de Itajaí

  •  

Deixe uma Resposta