• Postado por Tiago

Coronel da PM de Balneário Camboriú foi afastado do cargo e tá na mira da dona justa

Um dos chefões da jogatina na Santa & Bela, grampeado na quinta-feira em operação comandada pelo ministério público e pela polícia militar, é José Laércio Madeira, pai da loirosa ex-BBB Ana Carolina Madeira. Enquanto a filhota gostosona dava autógrafos numa revista em que aparece quase pelada, o pai caía nas garras da lei. Ontem, a operação continuou a feder. A dona justa afastou do cargo o tenente-coronel Edioner Paes Sá, de Balneário Camboriú. As suspeitas são de que ele comandasse o esquema de acobertar a jogatina, de dentro do quartel da 3ª região.

A operação reuniu mais de 100 milicos de Floripa e de Balneário Camboriú, com a missão de colocar atrás das grades policiais acusados de facilitar a vida dos donos de papa-trouxas, e civis envolvidos até o pescoço com a jogatina ilegal. As prisões rolaram depois de 10 meses de investigações, que comprovaram que os capos dos cassinos contavam com uma ajudinha de puliças corruptos pra poder trampar na boa. Dos 21 mandados de prisão, quatro não foram cumpridos.

Foi apurado que rolavam dois esquemas. Os chefões de um deles era José Laércio, o Dedé, e seu comparsa Nilton César da Silva, o Niltinho. Eles comandavam a jogatina em toda a grande Floripa, Itapema e Balneário Camboriú. O outro quadrilheiro era Ademir Pires da Costa, que também tinha rolo com os policiais. Juntos, os empresários do crime eram donos de mais de mil papa-trouxas.

Os civis tão presos no cadeião de Tijucas e só prestarão depoimento pro promotor João Alexandre Acosta, de Itapema, na semana que vem. Mas os 11 milicos grampeados já começaram a ser ouvidos.

A maioria dos fardados ficou de bico calado e garante que só abre a boca em juízo. O único que respondeu às perguntas do ministério público foi o major Márcio João de Souza, mandachuva da PM em Itapema. Ele admitiu que conhecia José Laércio e que chegou até a morar numa baia do cara, tudo sem pagar um tostão. Também contou que conhecia Niltinho e que já tinha encontrado o homi pra um plá, mas negou ter recebido grana dos amiguinhos pra acobertar a jogatina.

Ontem, o trampo na corregedoria da PM foi pra começar a análise de todo o material apreendido na operação. Foram 48 celulares, 11 computadores, 10 notebooks, livros e papélis de todo tipo, além de uma porção de crack e maconha, encontrada com o sargento Hélio João Vieira, de Itapema, e munição de armamento exclusivo das forças armadas, que tava com o soldado Hercílio José Amândio, de São José.

Uma boa parte dos documentos que já tão na corregedoria pertence ao tenente-coronel Edioner Paes Sá, que trampava no comando da 3ª região da PM, em Balneário. Ele foi afastado do cargo e tá desde ontem servindo no quartel da capital. O promotor da justa militar, Sidnei Dallabrida, diz que as suspeitas são de que Edioner fosse o capo da quadrilha entre os policiais. A prisão dele só não foi decretada porque faltaram provas concretas do seu envolvimento no esquema.

Civis presos

José Laércio Madeira – comandava o esquema – Grande Floripa

Nilton Cesar da Silva –comandava o esquema- Grande Floripa

Paula Cristina – gerente de cassino – Itapema

Rosemari Zadonai – Grande Floripa

Tiago Alves de Ávila – técnico em informática – Itapema

Alexandre Melo Sá – Grande Floripa

Ademir Pires da Costa – comandava o esquema – Grande Floripa

Luiz Carlos Sagaz – Itapema

Meganhas presos

Major Márcio João de Souza – comandante de Itapema

Sargento Hélio João Vieira – Itapema

Sargento Bertolino Pedro Dutra Filho – Itapema

Sargento Ivonei Coronetti – Itapema

Sargento Sander Alves – São José

Cabo Gilson Muniz de Lins – Itapema

Soldado Carlos Augusto Felipe dos Anjos – São José

Soldado Paulo Marcelo Rampa – São José

Soldado Sérgio de Souza – São José

Soldado Hercílio José Amândio – São José

Soldado Douglas Marcelo Duarte – São José

  •  

Deixe uma Resposta