• Postado por Tiago

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou nesta quinta-feira (21) que a parcela extra do seguro-desemprego será estendida a mais 216.500 beneficiários demitidos em dezembro e janeiro, período em que se agravou a crise econômica mundial.

Essa medida acarretará em um gasto adicional de R$263,7 milhões para os cofres do governo e ainda tem que ser autorizada pelo Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador) na próxima semana.

Outros 103.707 desempregados já haviam sido beneficiados com duas parcelas extras do seguro-desemprego. Agora, serão incluídos mais 143.140 trabalhadores demitidos em dezembro e 73.360 demitidos em janeiro, de setores como agricultura e indústria, que foram afetados pela crise.

Lupi informou que essa deve ser a última parcela extra que o governo vai conceder, já que o mês de fevereiro registrou alta na oferta de emprego. O seguro-desemprego varia de R$465 a R$870 e pode ser concedido de três a cinco meses, de acordo com o tempo em que o trabalhador ficou no trampo.

  •  

Deixe uma Resposta